Imprensa inglesa e ex-pilotos criticam postura de Hamilton em Mônaco

Stewart, Coulthard e Brundle acreditam que piloto da McLaren vai se arrepender de ter chamado colegas de "ridículos" e das tentativas frustradas de ultrapassagem

Hamilton teve uma tarde para esquecer em Mônaco

 

Os comentários de Lewis Hamilton após o GP de Mônaco não foram bem recebidos em seu país. Após receber três punições no final de semana – teve seu melhor tempo deletado na classificação por cortar uma chicane e levou dois drive through na corrida por causar as colisões com Felipe Massa e Pastor Maldonado – o inglês chamou as decisões de “piada” e os pilotos com quem colidiu de “ridículos”. Por fim, disse, ainda que em tom de brincadeira: “talvez recebo muitas punições porque sou negro”.

O tricampeão Jackie Stewart chamou ambas as manobras de “questionáveis” e assegurou que os pilotos sempre acham que estão certos. “Você nunca vê as coisas pelo outro lado”, afirmou o escocês, que sugeriu que Hamilton apelasse das decisões, se está infeliz com elas. “Se há um grau de injustiça óbvio você apela – e sugere em que os dirigentes podem melhorar”.

David Coulthard seguiu a mesma linha. “Guiar um carro de corrida pode ser muito frustrante às vezes, porque você só vê seu mundinho dentro do capacete. Se ele vir a corrida de novo, vai pensar diferente. Acho que foi um final de semana frustrante para Lewis porque ele sabia que tinha uma grande oportunidade. Devemos respeitar os pilotos da McLaren pelo que têm dito, que é bem diferente do estilo ‘release de impresa’ que a equipe adotava no passado”, afirmou o ex-piloto do time inglês.

“Acho que faltou sorte para ele neste final de semana e havia muita frustração em sua pilotagem. Ele tinha que assumir os riscos, mas nem sempre é culpa do outro”, completou o também ex-piloto Martin Brundle.

Os jornalistas ingleses criticaram principalmente os comentários de seu compatriota após a prova.

“Lewis Hamilton criou uma tempestade com alguns comentários infelizes. No sábado, já havia criticado sua própria equipe e no domingo, ele foi duro com a FIA, colegas de pista e até conseguiu – ainda que aparentemente em tom de brincadeira – introduzir um elemento de raça”, afirmou Adam Cooper em seu blog.

Também para Andrew Benson, da BBC, as manobras e falas de Hamilton são resultado da frustração, em um final de semana em que esperava vencer, mas no qual nada deu certo para o piloto.

“Sir Jackie Stweart fala da importância de se livrar das emoções antes de entrar no carro, mas pareceu que Hamilton não seguiu o conselho no domingo. Ele é um dos maiores nomes do esporte mundial graças a sua pilotagem inspiradora e imagem jovial. E estabeleceu a reputação, em quatro anos e meio de carreira, de ser o que mais bem ultrapassa na F-1, assim como possivelmente o piloto mais rápido de todos. Mas ele não fez isso graças a performances como a de domingo”, publicou o jornalista em seu blog, citando a opinião Brundle durante a transmissão, que chamou a manobra em cima de Massa de “atrapalhada” e, em Maldonado, de “otimista”.

“Nos tempos do ex-presidente Max Mosley, sem dúvidas Hamilton seria chamado para responder uma acusação por colocar o esporte em descrédito”, prosseguiu Benson. “Quanto mais cedo ele perceber que seu objetivo de ganhar múltiplos títulos que ele crê merecer não será ajudado por esse tipo de reação, melhor para ele.”

Apenas neste ano, Hamilton já havia sido punido com um drive through na Malásia, por mudar a trajetória exageradamente quando se defendia do ataque de Fernando Alonso, e recebeu uma reprimenda no GP da Espanha, por não tirar o pé em um trecho com bandeira amarela.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Monaco
Pilotos Lewis Hamilton
Tipo de artigo Últimas notícias