Inconformado, Massa não entende desgaste excessivo de pneus

Brasileiro cobra compreensão da Ferrari sobre penúria que viveu em relação à falta de aderência e perda de performance

Massa foi pressionado por rivais a corrida toda

 

O fim de semana de Felipe Massa foi do começo ao fim uma tragédia. O brasileiro sofreu em todas as sessões livres, classificação e corrida com o desgaste excessivo de pneus e falta de aderência. Em nenhum momento conseguiu andar perto do companheiro, Fernando Alonso, e a diferença ficou em média de um segundo por volta. A largada do brasileiro foi brilhante, quando pulou de 16º para 9º. Mas parou por aí.

"A largada foi muito boa. Nos últimos anos eu venho largando bem. Depois de cinco voltas eu não tinha mais pneus traseiros. Eu estava lutando em todas as curvas, mas os pneus iam embora muito rápido. Depois, precisei antecipar o pit stop. Saí dos boxes com pneus macios e aconteceu exatamente a mesma coisa. Depois de cinco voltas, meus pneus acabaram e precisei antecipar muito a minha parada. Aí foi a vez de usar os pneus médios. Devemos estudar e entender o porquê do meu problema de equilíbrio de uso de pneu."

"Devemos mudar e entender tantas coisas e por quais motivos era assim [desgaste e falta de aderência com pneus] todos os dias."

No fim da corrida, quando já não almejava mais nada, Massa se envolveu em toque com Bruno Senna. A imprensa italiana o questionou, em entrevista acompanhada pelo TotalRace, se o fato de serem do mesmo país não devia fazer com que evitassem a batida.

"Não é o país que conta. Havia um carro, uma Toro Rosso, que tentou me passar por fora na curva 3. Fiz a curva e Bruno tinha uma tração melhor porque estava vindo por dentro. Ele acelerou e nós estávamos lado a lado, eu no lado esquerdo, para onde era a curva 4. Quando chegamos na curva, ele tentou tudo o que poderia para me passar e me tocou. Eu já estava pegando a zebra interna. Depois que ele me tocou, os carros ficaram presos um ao outro. Digo que ele tinha uma aceleração melhor, estava em posição onde deveria entrar mais rápido que eu, mas estava ao meu lado. Nos tocamos e honestamente eu vejo como coisa de corrida."

Em ano decisivo para seu futuro, Massa vê Alonso terminar em quinto de forma incrível enquanto brigou o tempo todo no pelotão de trás. "Olha, o peso não é esse. O peso é que eu não consegui guiar o carro. Se eu consigo a situação era totalmente diferente. Não posso depois de cinco voltas sofrer com pneus. Esse é o peso, a pressão", disse o ferrarista, sem esconder seu descontentamento com a situação. "Estou muito chateado por isso. Não dá para aceitar o que aconteceu."

 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Austrália
Pilotos Felipe Massa
Tipo de artigo Últimas notícias