Indiano Karthikeyan vê GP como uma "experiência surreal"

Tendo a chance de voltar ao cockpit da Hispania especialmente para a corrida, piloto da casa fala em traçado desafiador

Karthikeyan disputou sete provas pela Hispania no ano

Ele pode estar fadado a se arrastar no final do pelotão, mas o GP da Índia terá um significado especial para Narain Karthikeyan. O piloto, que se tornou o primeiro indiano a pilotar um F-1 em 2005, será o primeiro corredor do país a andar na pista local, ganhando a vaga de Vitantonio Liuzzi para disputar o GP ao lado de Daniel Ricciardo na Hispania.

“Pilotar diante da minha torcida será uma experiência surreal. É algo que só se vive uma vez na vida e me sinto muito privilegiado. Já há muito movimento em torno no GP e tenho certeza de que será um grande sucesso que irá motivar os jovens a entrar no esporte.”

O indiano de 34 anos, que fez algumas provas pela Jordan em 2005, disputou o campeonato de 2011 pela Hispania até a chegada de Ricciardo, no GP da Grã-Bretanha.

“Chegar na F-1 quando o fiz foi uma tarefa muito difícil e pensar em disputar o primeiro GP da Índia era um pensamento inexistente”, reconheceu. “Mas finalmente chegou e estou no grid. Será um dos circuitos mais desafiadores do calendário.”

Um dos desafios citados por Karthikeyan tem a ver com as variações de altitude do circuito – “há alguns pontos em que você apenas consegue ver o céu” – e com os pneus. “O layout colocará muita energia nos pneus e a estratégia terá um papel fundamental.”

O grid poderá ainda ter outro indiano, Karun Chandhok, mas o piloto de 27 anos ainda não foi confirmado pela Lotus.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Índia
Pilotos Narain Karthikeyan
Tipo de artigo Últimas notícias