Insatisfeita, chefe da Sauber diz que oportunidade de pontuar existia

Monisha Kaltenborn vê GP da Malásia como corrida difícil, mas reforça: “nosso pacote é competitivo”

Com uma rodada logo no início da corrida enquanto disputava a freada da primeira curva com o alemão Nico Hülkenberg, Marcus Ericsson ficou atolado na caixa de brita, dando adeus ao GP da Malásia. Isso trouxe o Safety Car para a pista e mudou a história da corrida em Kuala Lumpur, fazendo Vettel e Ferrari ressurgirem por conta da estratégia diferente.

[publicidade]O brasileiro Felipe Nasr também não foi bem, quebrando o bico na primeira  volta ao duelar com Räikkönen, tendo de ir aos boxes trocar sua asa. A ele sobrou apenas um 12º lugar.

A chefe da equipe suíça, Monisha Kaltenborn, se disse chateada com o resultado após pontos com ambos os pilotos na Austrália.

"É uma pena que não tenhamos sido capazes de marcar pontos, porque, com certeza, a oportunidade existia", disse ela.

"Infelizmente, os dois pilotos se envolveram em incidentes nas primeiras voltas. Para Marcus a corrida acabou e as chances de Felipe foram reduzidos significativamente.”

"Mas ele lutou fortemente depois, embora, infelizmente, ele não tenha sido recompensado com pontos. Este resultado é, obviamente, decepcionante, mas também há aspectos positivos que podem ser tomados a partir deste fim de semana de corrida.”

"Nosso pacote é competitivo, o que nos coloca em posição de lutar por pontos. Nós temos que ter certeza de que nós agarraremos estas chances."

Apesar de não pontuar na Malásia, a Sauber ainda está em quarto lugar na classificação graças aos pontos conquistados na Austrália.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias