Lauda diz se impressionar com própria recuperação mostrada em "Rush"

Austríaco só não concorda com um trecho do filme: “No filme, James transava com todas as garotas e eu não. É uma meia verdade”

O tricampeão dos anos 1970 e 1980, Niki Lauda, há tempos é uma lenda do mundo da Fórmula 1, mas o filme “Rush”, que conta a história da temporada de 1976, fez até mesmo o austríaco mudar a percepção sobre si mesmo.

Lauda, hoje dirigente da Mercedes, diz que apenas após ver o filme se deu conta do porquê as pessoas na época se impressionavam com sua determinação de voltar rapidamente às pistas após o grave acidente no GP da Alemanha.

“Para mim, a parte interessante é minha recuperação no hospital, quando estava tentando ficar pronto”, revelou à Autoweek. “Só vi [a situação na época] com meus olhos. Ficava impressionado com o olhar engraçado que as pessoas me olhavam, não entendia o porquê. Achava falta de respeito. Mas agora eu vejo o filme da maneira que os outros me viam. Agora eu entendo, mais de 30 anos depois. Foi uma nova experiência.”

Apesar de entender que o filme não é um documentário e romanceou a respeito de certos temas – Niki participou ativamente do roteiro – o austríaco lembra que a relação com James Hunt, seu rival na luta pelo título daquele ano, era bem diferente do que foi apresentado.

“Fora do carro, James era o único com quem eu me dava bem. No carro, éramos rivais, como todos são hoje. Ele era mais simpático que os outros, então eu tinha uma boa relação com ele.”

Mas, se tem algo que incomodou, não foi isso. “No filme, James transava com todas as garotas e eu não. É uma meia verdade.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias