Luiz Razia fala ao TotalRace: "Chego na F-1 na hora certa"

Piloto antecipou suas expectativas para a temporada, o duelo com Max Chilton e o que esperar da Marussia em 2013

Aos 23 anos e depois de um vice-campeonato na GP2, Luiz Razia chega na Fórmula 1

Para Luiz Razia, as primeiras voltas com o MR02 da Marussia não tiveram exatamente um sabor de estreia, mas sim o de retorno ao trabalho. Depois de já ter pilotado outros quatro carros de Fórmula 1 ao longo de sua carreira, o baiano de 23 anos já estava bem acostumado ao trabalho feito em um teste. “Mas agora eu posso deixar o carro do jeito que eu gosto de pilotar”. Numa conversa com o TotalRace, Razia fala de suas expectativas para a temporada e aponta que o ótimo desempenho na GP2 no ano passado foi o principal trampolim nas negociações pela vaga na Marussia.

TOTALRACE - Como se sente confirmado como piloto titular da Fórmula 1?
Luiz Razia - É uma ótima sensação. Muito tempo para chegar aqui então é preciso aproveitar. E já aproveitei andando com o carro em Jerez, o que foi ótimo. Começamos já a trabalhar. Já tinha feito testes antes com outras equipes, então o procedimento não era algo novo para mim. O principal foi me entrosar no trabalho da Marussia e aprender as funções deste volante, que é diferente do dos outros que eu havia testado. No geral, fiquei muito contente de já entrar no carro e fazer algumas voltas.

TOTALRACE - Dar este passo neste momento da sua carreira foi fundamental, não?
Luiz Razia - É o momento certo para entrar na Fórmula 1. Um resultado como o do ano passado dá muito mais confiança para as pessoas que trabalham ao meu lado. Muitas das negociações focaram em cima de referências de 2012, do quanto eu era bom e tinha potencial. Isto cria um respeito logo de início, era uma vantagem. E o piloto que eu era no ano passado começa agora a trabalhar de novo para melhorar em outros aspectos. Espero me adaptar o mais rápido possível e começar a esperar de mim aquilo que na GP2 eu já sabia que poderia esperar.

TOTALRACE - Qual o seu objetivo para este ano?
Luiz Razia - Meu objetivo é tirar o máximo do carro e trazer visibilidade para mim e para a equipe. É uma meta realista. Além disso, precisamos ver o que o carro pode trazer. O time acha que é uma boa evolução em relação ao do ano passado, algo que ainda estamos experimentando para saber. Estes testes são importantes para aprender o máximo e melhorar o carro. Andamos pouco até agora, o Max (Chilton) deu ontem 29 voltas, hoje eu dei 30. Então ainda estamos conhecendo o carro, só andamos com pneus duros até agora e temos muito o que descobrir.

TOTALRACE - Qual sua primeira impressão do MR02?
Luiz Razia - É um carro diferente, com menos características aerodinâmicas do que os outros que eu andei. Mas estou contente em começar a trabalhar num ambiente em que posso indicar uma direção. Nos outros testes eu apenas dava informações para os engenheiros, mas como não era titular nem sempre eles tomavam os caminhos que eu indicava. Agora eu começo a fazer o carro do jeito que eu quero guiar. Tem menos performance do que os que eu andei no ano passado, os da Toro Rosso e da Force Índia. Mas agora eu posso trabalhar e direcionar para o que eu quero dentro da equipe.

TOTALRACE - Você foi piloto reserva da Virgin em 2010. É uma sensação de retorno?
Luiz Razia - É uma sensação de voltar para a casa. A maioria das pessoas, especialmente as que tomam decisões do lado técnico e administrativo, são as mesmas. Foi bom voltar para uma equipe que eu conheço a maioria das pessoas.

TOTALRACE - Como você antecipa o duelo interno com Max Chilton?
Luiz Razia - É uma boa oportunidade para mim, porque somos ambos estreantes então é uma competição em condições iguais. O Max mostrou nos últimos anos que é um piloto veloz. Vai ser uma briga legal, acho que será uma disputa que um vai exigir o máximo do outro e ambos crescem com isso. Vai ser um retrospecto do ano passado.

TOTALRACE - E o que esperar do carro em termos de desenvolvimento?
Luiz Razia - A Marussia continua com um acordo com a McLaren e usamos o mesmo simulador deles, com bastante assistência técnica e aerodinâmica. Isso é muito animador. No ano passado, o time melhorou bastante ao longo do ano, mesmo sem o Kers. Então precisamos saber se o carro melhorou e o quanto as outras equipes melhoraram. Ainda é muito cedo para saber as possibilidades, mas vamos descobrir isto nos testes antes do GP da Austrália e teremos um novo pacote já para a abertura. Acredito que o time vai continuar investindo para melhorar o carro ao longo do ano.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Luiz Razia
Tipo de artigo Últimas notícias