Mansell é o comissário da vez e Whiting chama atenção para os boxes

Segundo diretor de prova, trecho de entrada e saída dos pits é mais rápido que a pista, o que pode provocar alguns aproveitamentos ilegais

Nigel Mansell

Herói inglês nas décadas de 80 e 90, Nigel Mansell voltará a brilhar no GP da Inglaterra de F-1, mas, desta vez, do outro lado da ação.

O campeão de 1992 e vencedor de quatro edições da corrida britânica atuará como comissário, assim como fizeram outros pilotos neste ano, como Emerson Fittipaldi e Heinz-Harald Frentzen.
 
Mansell, cujo nome completo é Nigel Ernest James Mansell, atualmente com 57 anos, será parceiro do sueco Lars Osterlind, membro do Conselho Mundial da FIA, e Nicolas Deschaux, que além de membro do Conselho, também é presidente da Federação Francesa (FFSA).
 
E quem vai liderar toda essa turma é Charlie Whiting, diretor de prova, que faz uma análise do que esperar desta corrida, principalmente em relação à nova área de pits. Segundo ele, alguns podem querer tirar vantagem, pois o trecho dos boxes é mais rápido que se o piloto permanecer na pista.
 
 "Os novos pits são a maior diferença; a entrada e saída trarão novos desafios. Será mais rápido que ficar na pista, então temos de garantir que os pilotos não usem isso para vantagem própria. Já a saída é uma subida rumo à uma curva extremamente rápida. Será uma mudança significativa em termos de estratégia, já que não custará muito na mudança de pneus", analisa.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Grã-Bretanha
Pista Silverstone
Tipo de artigo Últimas notícias