Mario Andretti acredita que F-1 voltou para ficar nos EUA

Campeão de 1978 opina que agora, com a construção do autódromo de Austin, categoria terá a estabilidade necessária para durar

Mario Andretti: agora vai

Um dos maiores nomes do automobilismo norte-americano em todos os tempos e campeão mundial de F-1 em 1978, Mario Andretti não poderia deixar de comparecer ao Grande Prêmio de Austin, no Texas, penúltima etapa da temporada de 2012. Direto do Circuito das Américas, em conversa exclusiva com o TotalRace, Andretti mostrou entusiasmo com a volta da categoria aos Estados Unidos e acredita que agora a parceria tem tudo para ser definitiva.

“Principalmente porque agora pode ser algo estável. Esse tem sido o problema aqui com a F-1. Desde Watkins Glen tivemos sempre circuitos temporários. Talvez Indianápolis pudesse ter algo estável, mas ali havia uma dualidade que dificultava ambientação”, argumentou o ex-piloto da Lotus.

Agora, com a construção do autódromo de Austin, visando especificamente a Fórmula 1, Mario Andretti acredita que chegou o momento. “A proposta agora é efetivar a F-1 por muito tempo, como acontece em outros lugares do mundo. A estabilidade deve fazer a diferença em relação ao futuro”, disse Mario.

O pioneiro do clã Andretti ficou admirado com a construção em Austin. “É uma pista fabulosa, fizeram um grande trabalho. Mostraram um comprometimento raro. Vemos governos investindo na F1 em outros lugares do mundo, mas o que foi feito aqui deu gosto de ver”, definiu.

Desde 1959 quando correu pela primeira vez nos EUA, em Sebring, a F1 esteve nos EUA por 49 vezes – a 50ª é em Austin agora -, entre GPs dos Estados Unidos, do Oeste e do Leste. Em oito circuitos diferentes (Austin é o nono). A última vez havia sido em 2007, em Indianápolis. 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP dos EUA
Tipo de artigo Últimas notícias