Massa analisa reconstrução da Williams, suas chances em 2015 e cutuca a Ferrari

Para o brasileiro, falta de resultados explica protestos de sua ex-equipe: “Se tivessem o melhor motor, nunca reclamariam”

A duas corridas para o fim da temporada de 2013, Felipe Massa, de saída da Ferrari, anunciou que havia acertado com a Williams, que finalizou aquele ano na nona colocação no campeonato de construtores, com apenas cinco pontos somados por seus dois pilotos, Valtteri Bottas e Pastor Maldonado.
[publicidade]Após pouco mais de um ano, o piloto brasileiro se surpreende com a recuperação da equipe britânica, terceira colocada em 2014. "Quando eu vi como a equipe estava há dois anos, não imaginava que tudo pudesse acontecer assim. Foi um pouco mais rápido do que eu esperava, mas está sendo melhor", disse o paulista ao site Crash.net.

A surpreendente reconstrução da Williams em 2014 aumentou as expectativas sobre o desempenho de Massa e Bottas neste ano. O brasileiro reconhece que a pressão é maior, mas, com uma bagagem de 212 GPs disputados desde 2002, diz que consegue lidar com a cobrança. Há outro trunfo para que a escuderia possa conseguir bons resultados: o FW37. Segundo ele, o carro está um passo à frente do modelo anterior: "É mais estável, com melhor tração, que é algo nós estávamos buscando no ano passado.”

Apesar da confiança no FW37, o brasileiro destaca que há aspectos do modelo que precisam ser aprimorados. Um deles é a força de cima para baixo, ou downforce, que proporciona maior velocidade nas curvas e menor desgaste dos pneus.

Mesmo com apenas duas baterias de testes de pré-temporada realizadas, Massa já sabe que a Mercedes, última campeã mundial, continua como a equipe a ser batida, seguida por Ferrari e Red Bull. "A Ferrari fez uma melhora e a Red Bull foi muito rápida também. É cedo para dizer. O importante é que estamos no páreo", opinou.

O brasileiro ainda cutucou a Ferrari, sua ex-equipe, que, na última semana, lançou um carro-conceito como sugestão à FIA (Federação Internacional de Automobilismo) de possíveis reformulações na Fórmula 1. "Acho que nós precisamos entender as regras que temos agora. É difícil mudar as coisas de um ano para o outro, pois terão que preparar tudo antes. Eu sei como é a situação. Só estão reclamando porque não têm o melhor motor. Se eles tivessem o melhor motor, nunca reclamariam. Quando não se está ganhando, é fácil reclamar.”

Confira outros trechos da entrevista de Massa:

ASCENSÃO DE MAX VERSTAPPEN
"Para ser honesto, eu acho que ele é incrível. É um piloto fantástico. Ganhou tudo que disputou até agora, mas é muito cedo (para a Fórmula 1). Nós não podemos mudar as coisas desse jeito. Ele não tem nem uma carteira de motorista. Quando eu comecei minha carreira, era muito jovem e, se tivesse começado após um ano, teria sido melhor para mim, só para ter mais experiência. Acho que ele pode ser rápido, mas a experiência conta, talvez em alguns detalhes que poderiam causar acidentes ou problemas. Espero que isso não aconteça com ele."

REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO NA FÓRMULA 1
"Eles precisam trabalhar para melhorar as categorias. Se o motorista vai desde o kart até a F3 em um ano e, logo depois, vem a Fórmula 1, por que nós temos GP3 e GP2? Eles precisam trabalhar para que os pilotos tenham essas experiências. Acho que é preciso um limite de idade para começar bem."

FUTURO DA CATEGORIA
"Minha visão é a de tentar melhorar a aderência mecânica, mas não tirnado completamente a aerodinâmica. O motor que eu gosto é muito forte. Não é fácil de dirigir, o que o torna interessante. E não gosto do barulho. Mas está um pouco melhor neste ano, eu diria."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias