Massa e Alonso celebram "começo diferente" da Ferrari

Espanhol trata superioridade do brasileiro na classificação como incomum: "me pergunte nas próximas 17 provas"

Igualando sua melhor posição de largada para o GP da Austrália com o quarto lugar no grid – mesmo resultado de 2008 – Felipe Massa confirmou o otimismo que vinha mostrando com a nova Ferrari. O brasileiro, inclusive, superou o companheiro Fernando Alonso por três milésimos para garantir-se na segunda fila.

“Foi uma classificação muito boa com uma condição muito difícil. Ontem, com a batida que eu tive era quase impossível continuar, mas a gente conseguiu , o que foi positivo. Sinto até um pouco de dor no pescoço pela batida. Não sabíamos com que pneu era melhor sair, no final, quase perdi o momento para passar do Q2 e, depois, consegui fazer uma boa volta com o pneu de seco. É uma pista em que sempre sofri para fazer uma boa volta.”

Perguntado pelo TotalRace sobre o adesivo que leva em seu capacete em homenagem a Wilson Fittipaldi, o Barão, que faleceu semana passada, Massa afirmou que era “o mínimo” que poderia fazer. “Isso, por tudo aquilo que ele fez e pelo que representou para o automobilismo.”

O brasileiro salientou a boa fase que vive desde a guinada que deu em meados do campeonato passado. “É um começo diferente – é claro que ainda tem a primeira corrida pela frente, tem muita coisa para acontecer – mas me dei bem desde o primeiro dia com o carro, me senti bem nos testes de inverno e acabei bem o ano passado. Acho que tenho tudo para fazer um campeonato mais competitivo e diferente.”

Batido pelo companheiro, Fernando Alonso não se abalou e lembrou que, nas três primeiras temporadas que disputou ao lado de Massa, raramente ficou atrás. “Foi muito bom. Estou feliz em ter essa luta com Felipe. Normalmente, terminamos o ano com 17 x ou 17 x 2 e espero que, se estiver na frente nas próximas 17 vezes, repita a mesma pergunta”, afirmou á mídia espanhola em entrevista acompanhada pelo TotalRace.

O espanhol se mostrou otimista em relação ao resultado da Ferrari, ainda que tenha dúvidas devido à classificação cheia de incertezas devido à chuva.

“Estou muito contente. Largamos das posições importantes, coisa que não tínhamos feito nas últimas corridas iniciais e esse era o objetivo: reduzir a distância e tentar largar das primeiras filas. Conseguimos desta vez. Porém, foi uma classificação com condições bastante diferentes, então teremos de confirmar novamente na Malásia se estamos entre os cinco primeiros ou não”, destacou.

“No inverno, era difícil tirar conclusões, e hoje também foi. Temos que ver em uma classificação em seco. Vê-los com uma vantagem como nos últimos quatro anos não é nenhuma novidade, mas sempre estivemos lutando até a última corrida com eles. Portanto, temos de tentar fazer um ano perfeito e não cometer os erros que às vezes eles cometem.”

Para a corrida, Alonso mira chegar entre os três primeiros no circuito australiano pela primeira vez desde 2007, quando foi segundo, de McLaren. “Seria bom tentar chegar ao pódio. Largamos em quinto, então é algo realista, que quase podemos tocar com as mãos. Seria importante começar o ano pontuando e, se chegarmos ao pódio, seria ainda melhor. Faz alguns anos que não chego ao pódio na Austrália e seria bom estar lá esta tarde. Ainda não tive a reunião com os engenheiros, mas espero uma prova com muitas paradas.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Austrália
Pilotos Fernando Alonso , Felipe Massa
Tipo de artigo Últimas notícias