Massa vive fim de semana de italiano em casa

Brasileiro apostou acertadamente em país europeu no início de carreira internacional e deslanchou; agora, representa principal time local

Massa atende ferraristas em Monza

 

Para Felipe Massa, o GP da Itália é como sua segunda casa. Não pelo fato de competir pela Ferrari, mas por ter apostado no país europeu para iniciar sua bem-sucedida carreira fora do Brasil.
 
Ao deixar o Brasil, em 2001, Massa passou direto para a F-3000 Europeia, que tinha prestígio e utilizava os carros da geração anterior da F-3000 Internacional (que passou a ser GP2 em 2005). Graças ao título naquele ano, o piloto da Ferrari deu o salto para a F-1.
 
"Essa é uma corrida caseira para a Ferrari e também um pouco para mim. Venho de familia italiana, tenho passaporte italiano. A Itália tem a ver com a minha vida em geral. Fiz minha carreira toda aqui, quando todos diziam para eu ir à Inglaterra", comenta.
 
"É uma corrida super importante. A gente sente o calor da torcida para a Ferrari e para nós. É um lugar super especial. Espero que consiga chegar de novo no pódio, para ver aquela reta cheia de gente, sem conseguir enxergar o asfalto, só com gente gritando. Tomara que neste ano eu vença", destaca Massa, que compara automobilismo ao futebol.
 
"Lógico que é preciso um carro competitivo, senão não chega. Venci duas corridas no Brasil e marquei três poles. Correr em casa é uma força a mais, um calor a mais. Sempre tenho vontade de largar na frente, mas em casa é diferente. É por isso que time de futebol ganha em casa e sofre fora. Tem seu motivo", completa.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Itália
Pilotos Felipe Massa
Tipo de artigo Últimas notícias