Massa volta ao Brasil sem novidades sobre renovação: “nada, zero”

Piloto quer aproveitar parada de agosto para relaxar e se preparar para o resto da temporada, mas admite que indefinição incomoda

Massa espera notícias sobre contrato

Com a F1 parando por um mês, devido ao verão europeu, Felipe Massa está voltando ao Brasil e traz na bagagem muitas dúvidas sobre o seu futuro. O contrato com a Ferrari acaba no final do ano (a data para renovação, aliás, já expirou) e até agora não houve nenhuma conversa com a equipe sobre a continuidade da parceria no ano que vem.

O piloto não esconde que a situação indefinida o incomoda, mas quer aproveitar o período no Brasil para relaxar. “Às vezes ficamos bastante cansados, porque é muita corrida, muita viagem. Então o importante agora é relaxar, descansar e se preparar para a segunda parte do campeonato. Minha cabeça é essa, meu trabalho é esse. Enquanto eu fico no Brasil vamos ver o que vai rolar. É difícil dizer o que vai acontecer nesse meio tempo. Primeiro precisa acontecer”, disse, falando sobre a renovação, antes mesmo de ser perguntado.

Questionado sobre novidades nas conversas com a Ferrari, Massa foi enfático: “nada. Zero. Nenhuma decisão, nada de novo. A situação é exatamente igual à de duas corridas atrás. De lá pra cá, nada aconteceu”, disse o piloto aparentemente incomodado. Mas o brasileiro garante que a indefinição não interferiu nas suas duas últimas atuações – em Hockenheim e Hungaroring, Massa teve atuação apagada. “É lógico que é melhor você ter um contrato, mas nunca aconteceu de eu estar lá na largada pensando em contrato. Nunca aconteceu e nem está acontecendo agora. Corrida é corrida e sempre entramos pensando em fazer o melhor”, explicou o piloto que não descarta ganhar menos no ano que vem. “Existe uma crise forte e essa crise afeta o esporte, a F1. Crise é para todo mundo e uma equipe F1 precisa de dinheiro para funcionar”, afirmou.

Sobre o atual momento da equipe no campeonato, Felipe comentou que o rendimento ainda varia de pista para pista, mas que o carro está entre os melhores. “No momento, as equipes mais fortes são Red Bull, McLaren, Ferrari e Lotus, não necessariamente nessa ordem. Essas são as que mais mostraram ritmo e velocidade. É difícil dizer o que vai acontecer entre essas quatro”, opinou. “A Ferrari estava mais competitiva em Silverstone e Hockenheim e a chuva ainda ajudou um pouco o Alonso na classificação - que também fez um excelente trabalho. Na Hungria não estivemos tão competitivos. A McLaren nas últimas duas corridas mostrou um ritmo fortíssimo no seco, assim como o Kimi e as Red Bull”, analisou.

Para o brasileiro a Ferrari está entre os melhores, mas não é o destaque. “Até quando tivemos bons resultados, não tínhamos o melhor carro. Não temos o carro mais rápido. Isso é claro para mim”, definiu.

Massa é o 14º colocado no campeonato, com 25 pontos.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Hungria
Pilotos Felipe Massa
Tipo de artigo Últimas notícias