Mateschitz: "estou perdendo o interesse na Fórmula 1"

O chefão da Red Bull admite que está perdendo o interesse em manter a sua equipe na Fórmula 1, em meio a crescente frustração com a Renault.

Às vésperas do GP da Áustria, em que a Red Bull vai correr no quintal de casa, Dietrich Mateschitz, dono da marca admitiu que está perdendo o interesse em manter sua equipe na Fórmula 1, a menos que consiga um reviravolta na relação com a Renault, que está indo de mal a pior.

Em uma entre vista ao site Speedweek, Mateschitz disse que há vários fatores que estão deixando-o desiludido com a categoria e que é só uma questão de tempo para ele tirar o time de campo, caso as coisas não mudem.

Um dos motivos é o descontentamento com a Renault - "Eles tiram de nós, não apenas tempo e dinheiro, mas também a vontade e a motivação. Não há nenhum piloto e ou chassi capaz de compensar esta falta de potência", afirma.

O austríaco também critica a restrições aerodinâmicas e dos motores, no regulamento: "as normas aerodinâmicas são tão rigorosas que o nosso designer Adrian Newey não pode usar o seu talento. E temos um limite de quatro motores (que a equipe já chegou no limite). Então, vamos perder posições no grid. O que mais tem que acontecer para perdermos completamente a motivação", questiona.

Não há obrigação de permanecer

Embora  que a Red Bull tenha firmado um compromisso com Bernie Ecclestone para ficar na F1 até 2020, Mateschitz contou que não foi nada que possa forçá-lo a permanecer.

"Quantas equipes já saíram, mesmo com os contrator em vigor? Você não pode forçar para ficar, quando ele quer sair", afirma.

Mudança para motores Ferrari é improvável

Especulações apontaram que a Red Bull poderia pegar todos de surpresa e mudar de fornecedor de motor já a partir do ano que vem, migrando para a Ferrari, o chefe da equipe negou.

"Não há absolutamente nada sobre isso (os rumores). Para 2016 nós só temos uma alternativa, a Renault", descartou.

Mateschitz afirmou que se a Red Bull se tornar cliente da Ferrari, automaticamente seria impedida de conquistar títulos, pois iria virar concorrente da própria.

"Você só pode ter um motor que é bom o suficiente para tirar os pontos dos rivais diretos. Mas nunca seríamos bom o suficiente para vencer a equipe de fábrica, que fornece estes propulsores", argumentou.

"Com os motores Ferrari, nós nunca seremos campeões do mundo de novo", completou.

Por fim, o austríaco dá um recado, alfinetando a fabricante francesa: "Ainda estamos esperando (a Renault vai ficar melhor). A esperança é a última que morre", completou.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Áustria
Pista Red Bull Ring
Equipes Red Bull Racing
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags red bull