Mercedes em estado de alerta: "Os rivais estão chegando"

Toto Wolff vê dificuldade de Rosberg de ir de quarto a segundo na China como prova de que carro precisa melhorar

São 97 pontos de vantagem no mundial de construtores e 34 no de pilotos, mas a Mercedes se diz em sinal de alerta: o chefe da equipe, Toto Wolff, vê os rivais se aproximando e pede para que o time não pare de evoluir.

A prova disso, para o dirigente, foi a dificuldade de Nico Rosberg em se recuperar do quarto lugar no grid para chegar ao segundo posto na prova.

“A primeira parte da prova não foi fácil, em termos de performance. Quando ele estava seguindo Ricciardo, nem mesmo nas retas conseguia passá-lo. Isso só prova que é preciso acertar tudo, classificar bem também. E depois acertamos na estratégia.”

Para Wolff, a tendência é que equipes como Ferrari e Red Bull se aproximem ao longo da temporada. “Temos de ter cuidado. Eles estão chegando, vimos isso com o Alonso e o Ricciardo. É muito interessante porque nas últimas corridas vimos situações em que, com os pneus usados, os tempos se aproximavam bastante. Temos de descobrir a maneira como nossos competidores alimentam a energia e como a eficiência de combustível funciona, porque às vezes parece que eles podem ir mais rápidos, mas não conseguem manter isso até o final.” 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias