Mesmo fora da Fórmula 1, Schumacher não se afastou da velocidade

Alemão sofreu três grandes quedas antes de desistir do motociclismo; o esqui alpino é uma paixão desde os tempos de Ferrari

Há duas semanas, Schumacher posou em Dubai com o especialista em wingsuit brasileiro Luigi Cani

O esqui alpino é apenas uma das modalidades esportivas às quais Michael Schumacher se dedicou após abandonar as pistas da Fórmula 1. Viciado em adrenalina, o alemão chegou a se aventurar em competições de motociclismo após sua primeira aposentadoria, que durou de 2006 a 2009, costuma pular de pára-quedas e nunca deixou de correr de kart.

Mas esta não é a primeira vez que as aventuras do alemão lhe levam ao hospital. Após a primeira aposentadoria, em 2006, então com 38 anos, Schumacher passou a competir no campeonato alemão de Superbike. Sobre duas rodas, sofreu três grandes quedas, sendo a última delas com maiores consequências. Schumacher treinava sozinho na Espanha, no início de 2009, quando teve uma queda e fraturou o ombro e o crânio. A lesão, inclusive, impediu que o alemão substituísse Felipe Massa na Ferrari quando o brasileiro se acidentou no GP da Hungria daquele ano. Na ocasião, o heptacampeão chegou a testar o Fórmula 1, mas sentiu dores no pescoço e desistiu da ideia.

Longe das competições de motos após o acidente, Schumacher continuou esquiando, modalidade que aprimorou durante os 11 anos de Ferrari. Isso porque a Scuderia mantinha um evento anual com competições festivas de esqui, algo levado a sério pelo alemão, que se desenvolveu no esporte para se certificar de que a vitória não lhe escaparia.

A velocidade nos ares também atrai o alemão. Dia 18 de dezembro, o especialista em wingsuit Luigi Cani publicou um registro de seu encontro com o ex-piloto em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Na época, o brasileiro escreveu a mensagem: "Você sabia que Michael Schumacher, o maior piloto da história do automobilismo, também é apaixonado pelos velozes paraquedas de alta performance? O alemão é um exemplo de atleta em tudo que pratica."

Além dos esportes de maior risco, Schumacher também se aprofundou no adestramento de cavalos, incentivado pela esposa, Corinna. O casal, inclusive, mantém um estábulo em sua residência, na Suíça. 

Na Fórmula 1, no entanto, Schumacher teve apenas um acidente grave, quando fraturou a perna no GP da Grã-Bretanha de 1999. O alemão voltaria às corridas antes do final daquela temporada, mas perdeu seis etapas.

O alemão, que completará 45 anos dia 3 de janeiro, é o piloto mais vitorioso da história da Fórmula 1, com 91 vitórias . Ele também é dono dos recordes de pole positions, com 68, voltas mais rápidas, com 77, hat tricks, 22, pódios, 155, voltas na liderança, 5111, entre outros. Em 19 temporadas, ele conquistou dois títulos pela Benetton (1994 e 1995) e cinco pela Ferrari (de 2000 a 2004). Após a primeira aposentadoria ao fim de 2006, o piloto retornou à F-1 em 2010 pela Mercedes, abandonando a categoria em definitivo em 2012. 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Michael Schumacher
Tipo de artigo Últimas notícias