Michelin diz estar "pronta para conversar" sobre retorno

Mas os franceses já avisaram que não querem fazer pneus de alta degradação, como os atuais Pirelli

A Michelin reconheceu que está pronta para entrar na briga para fornecer pneus para a Fórmula 1 já no ano que vem. Atualmente, a Pirelli tem acordos individuais com equipes e Bernie Ecclestone, mas não possui um contrato fechado com a FIA.

Uma decisão a respeito do assunto poderia ser tomada no encontro do Conselho Mundial, mês que vem, ainda que o diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, venha alertando para a necessidade de uma definição mais rápida devido às mudanças no regulamento do próximo ano.

Mas o diretor do Departamento de Competições da Michelin, Pascal Couasnon, diz que poderia estar pronto mesmo se a decisão final saísse apenas em outubro.

“Agora nossa posição é conhecida. Podemos conversar e estamos prontos para fazê-lo. Haverá um momento em que isso não será mais possível – precisamos de tempo para produzir os pneus. No final de outubro, pode ser tarde demais”, afirmou.

Porém, com a Michelin, a questão dos pneus seria gerenciada de maneira diferente do que é hoje. A Pirelli fechou um contrato em 2011 com a promessa de fabricar pneus de alta degradação, a fim de embolar as disputas. Mas os franceses não gostam da atual fórmula.

“Seguimos a Fórmula 1 de perto mas, da maneira como está hoje, não gostamos nada”, disse ao Le Figaro. “É desapontador e quase me deixa com raiva. A Fórmula 1 não é trocar pneus depois de algumas voltas, mas oferecer uma bela imagem de um produto importante para a indústria automotiva.”

Os franceses também gostariam de mudar a configuração dos pneus, dos atuais 33 para 45cm. “Um dos desafios seria aumentar a escala do pneu. Se a Fórmula 1 estiver pronta para este formato, vamos correr. Isso certamente seria algo que estaria no contrato.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias