"Não foi nada fácil", fala Pérez sobre primeiras corridas

Mexicano conta sobre pressão de dirigir pela McLaren e que não espera grandes mudanças no carro até a Espanha

Pérez falou sobre pressão de dirigir na McLaren

Com os dois pontos no GP da Malásia, Sergio Pérez abriu a contagem em 2013. O mexicano ainda não se adaptou bem ao MP4-28, um carro que ainda está aquém do esperado em termos de performance e equilíbrio. Para o GP da China, Pérez diz que o carro terá alguns avanços, mas nada que surta grande efeito imediato.

“Sabemos que não vamos estar suficientemente competitivos para este fim de semana, mas teremos algumas melhoras”, disse hoje ao TotalRace na China.

“É um fim de semana importante para entender os problemas que temos pra chegar em Barcelona que é onde esperamos ter melhoras para lutar pelas vitórias. E sim, foi uma boa semana de trabalho, descansando. E voltamos com as baterias recarregadas para tentar recuperar o terreno perdido.”

Ao ser questionado sobre uma melhora de seu carro Sergio não foi muito categórico. “Sim, melhorou. Mas o mais importante foi identificar os problemas nessas duas corridas. Temos algumas alterações que podem ser que não funcionem tanto, ou que não deem muita diferença, mas o mais importante será esse trabalho que será feito nessas duas corridas [China e Bahrein] para melhorar o carro para a temporada europeia, que é onde temos as esperanças neste momento.”

“Eu acho que quando se tem um carro que pode ganhar corridas, e está na frente, você melhora como piloto. E quando você chega na McLaren, com toda a pressão, com um carro tão difícil de correr, que muda a cada curva, é mais difícil a adaptação”, reconheceu.

“Não foi nada fácil, especialmente nas primeiras duas provas. Diria mais na Austrália, onde o carro fazia algo diferente em cada curva”, completou.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da China
Pilotos Sergio Perez
Tipo de artigo Últimas notícias