"Não teremos outra equipe espanhola na F1", lamenta De la Rosa

Piloto está pessimista quanto a presença da HRT no grid em 2013 e também acha difícil nova aventura do país na categoria

De la Rosa em sua última corrida pela HRT

Após mais um ano no fim do grid, a HRT foi colocada à venda no final de 2012, mas não atraiu compradores. Assim, a equipe dificilmente estará na F1 em 2013 e para um de seus pilotos, Pedro de la Rosa, dificilmente a Espanha voltará a ter uma equipe na categoria tão cedo. O piloto já fala como se realmente não houvesse possibilidade de o time permanecer.

“É uma tristeza, porque não haverá outra equipe espanhola. Eu acho que nunca mais teremos um momento como este, com tanto interesse nacional, um supercampeão como Fernando Alonso e um terreno fértil adequado. Voltar a ter um cenário como esse no curto ou médio prazo é muito difícil”, disse o piloto ao jornal Marca.

De acordo com De la Rosa, a atual crise econômica que atinge a Europa e, em especial, a Espanha foi fundamental para que a HRT fosse colocada à venda. “O que nos afetou muito foi o contexto das crises nacionais e europeias. Isso tem afetado a Fórmula 1 e afetou principalmente as empresas espanholas. Infelizmente é algo que não podemos escolher e por isso ficamos sem apoio da indústria espanhola”, comentou o espanhol, que acha muito difícil que o time alinhe no grid em 2013.

“Eu sou apenas o piloto e não recebi nenhuma notificação oficial, mas a sensação que todos nós temos é que o projeto não vai continuar e eu já estou procurando outro lugar no grid no ano que vem. Nosso problema não foi o fato de a equipe ter sido colocada à venda. Nosso problema foi que ninguém quis comprar. Com exceção de duas ou três equipes, todas as outras estão à venda”, finalizou.
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Pedro de la Rosa
Tipo de artigo Últimas notícias