Nasr lamenta "má sorte" em volta rápida

Brasileiro foi prejudicado pela bandeira amarela de Max Verstappen quando buscava melhorar sua posição de largada com pneus médios

Se classificar à frente somente da dupla da Manor não deixa ninguém orgulhoso na Fórmula 1 atual, mas a leitura da situação depende do contexto. Felipe Nasr tinha grandes chances de melhorar seu tempo no fim do Q1, quando teve que diminuir o ritmo por causa da bandeira amarela ocasionada por Max Verstappen, condenando o brasileiro à 18° posição. Com a punição ao piloto holandês da Toro Ross, Nasr acabou ganhando uma posição, a 17°. Mesmo assim, ele falou sobre o episódio:

"Tivemos má sorte hoje. O Q2 era possível na minha opinião. Eu estava na minha melhor volta quando aconteceram as bandeiras amarelas", explicou.

Mesmo herdando uma posição, Nasr não terá vida fácil, já que Suzuka tem peculiaridades não muito boas para quem está atrás:

"Amanhã teremos que dar o nosso melhor. Não é fácil ultrapassar aqui, então temos que aproveitar as oportunidades que forem aparecendo", afirmou.

Seu companheiro de equipe, Marcus Ericsson também se queixou sobre a impossibilidade de melhora por causa da interrupção do bom ritmo:

"Estava numa volta boa e teria ido ao Q2 se não fossem as bandeiras amarelas. É uma pena, já que não tínhamos mais como tentar. Amanhã teremos que lutar", declarou Ericsson.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Japão
Sub-evento Sábado classificação
Pista Suzuka
Pilotos Felipe Nasr
Tipo de artigo Últimas notícias