“Nunca estive tão feliz em sair do carro", define Button

McLaren viu sua sequência de 64 provas nos pontos, a maior da história, ser quebrada com o 11º e 12º lugares no Canadá

Um tentou uma parada, o outro duas, mas não tinha jeito: a McLaren amargou sua primeira prova com ambos os pilotos fora dos pontos pela primeira vez em 65 GPs, colocando fim a uma sequência que é a maior da história para uma equipe.

“Não acho que importa, pois um ou dois pontos não é o que queremos conseguir”, afirmou Jenson Button. “Queremos coisas maiores, mas tudo o que é bom acaba. Levamos uma volta facilmente.”

O inglês se mostrou bastante decepcionado com a falta de ritmo em um circuito no qual a McLaren havia vencido nos últimos três anos.  “Nunca estive tão feliz em sair do carro. Foi doloroso”, definiu. “Decidi fazer uma parada, o que não era nosso plano, mas... temos muito trabalho pela frente. Acho que provamos hoje que, fazendo o que fosse com a estratégia, terminamos em 11º e 12º, fora dos pontos. É doloroso em um circuito que costuma ser muito bom para a McLaren.”

Perez, que foi segundo colocado ano passado com a Sauber, amargou o 11º lugar.  “Achava que faria uma corrida melhor, pois o acerto que escolhemos dava bastante aderência nas curvas. Tive muita degradação no primeiro stint com os supermacios, então tive de entrar cedo e fazer duas paradas, como todos. Foi uma corrida muito complicada. Forcei o tempo inteiro tentando um ponto e não pude fazer nada mais. Estamos muito longe.” 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Canadá
Pilotos Jenson Button , Sergio Perez
Tipo de artigo Últimas notícias