Para Alonso, Mônaco esconde as deficiências da Ferrari

Espanhol não se deixou levar pelo primeiro tempo nos treinos livres e afirmou que resultado é prova de que problema do carro é aerodinâmico

Alonso foi o melhor da quinta-feira em Mônaco

Mais rápido após as duas primeiras sessões de treinos livres, Fernando Alonso não se mostrou surpreso com o resultado. O piloto da Ferrari afirmou que não se trata de uma melhora do carro da Ferrari, mas sim da adaptação às particularidades do circuito.

“A diferença tinha que diminuir. Estar a mais de um segundo aqui seria surpreendente. Portanto esperamos que consigamos melhorar nossa classificação e ver o que se pode fazer. Não tem segredo. A média de velocidade do segundo setor, onde estão a maioria das curvas, é baixa, então a aerodinâmica conta menos e nosso carro não mostra as carências que tem em outros circuitos.”

Para o bicampeão, o resultado de hoje só serve para a Ferrari ter certeza de onde deve melhorar.

“Isso serve para confirmar que nosso maior problema é a falta de carga aerodinâmica. O motor é igual ou melhor que qualquer outro, os pneus são os mesmos para todos e, quanto às suspensões e à parte mecânica do carro estamos junto ou melhor que os outros. É mais uma prova de onde temos que nos reforçar.”

Certo de que nem a asa traseira vai aumentar o número de ultrapassagens na corrida, o espanhol acredita que a classificação seja fundamental.

“Creio que a classificação, talvez pela primeira vez no ano, será crucial. Portanto, ter um carro rápido em uma volta e sacrificar um pouco o ritmo de corrida acreditamos que compensa aqui. Vamos tentar ter o carro o mais rápido possível em classificação e, logo, tentar cuidar dos pneus na corrida, o que acho que mais uma vez será fundamental.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Monaco
Pilotos Fernando Alonso
Tipo de artigo Últimas notícias