Para chefe da Toro Rosso, pilotos têm três anos para mostrar valor

Franz Tost coloca pressão em Sebastien Buemi, que estreou em 2009 e ainda não encheu os olhos dos dirigentes da Red Bull

Franz Tost e Sebastien Buemi

Ninguém esconde que a Toro Rosso funciona como uma espécie de vestibular para os pilotos que almejam uma vaga na poderosa Red Bull. Que o diga Sebastian Vettel, que fez sua primeira temporada completa na ex-Minardi, em 2008, antes de formar dupla com Mark Webber.

Mas também não foram poucos os exemplos de pilotos que ficaram pelo caminho. Scott Speed, Christian Klien, Vitantonio Liuzzi, Sebastien Buemi, nenhum vingou. De acordo com o chefe da equipe, Franz Tost, a empresa dá um máximo de três anos para que os jovens talentos mostrem do que são capazes.

“Vamos colocar desta maneira: se você não tiver certeza depois de três anos se ele será bom o suficiente, eu diria para esquecê-lo, e ponto final”, afirmou em entrevista ao site oficial da F-1.

A frase coloca pressão em cima de Sebastien Buemi, que estreou no início de 2009 e não tem seu nome ligado a qualquer “promoção” para a Red Bull. Isso com Daniel Ricciardo batendo na porta, atrás de uma vaga.

“Espero que ele [Ricciardo] supere Liuzzi depois de não mais que três ou quatro corridas”, disse Tost, referindo-se ao companheiro do australiano na Hispania.

Pelo menos por enquanto, o chefe da Toro Rosso não quer apontar Buemi como a próxima “vítima” do programa de pilotos da Red Bull. O dirigente quer esperar até o final da temporada para ver como o suíço evolui em comparação com seu companheiro, Jaime Alguersuari, que faz sua segunda temporada completa.

“Ambos estão evoluindo, então vamos esperar para ver o que acontece na segunda metade da temporada. Ao final do ano, vamos sentar juntos com a Red Bull e discutir quem estará em nossos carros em 2012.” 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Sébastien Buemi , Jaime Alguersuari
Tipo de artigo Últimas notícias