Para chefe, Magnussen está enfrentando “síndrome de estreante” na F-1

Eric Boullier afirma que dinamarquês ainda não entende particularidades de não se ter um bom carro na categoria

Apesar de um pódio duplo na estreia, a McLaren ficou três corridas sem pontuar entre os GPs do Bahrein e da Espanha. Por isso, a equipe prega cautela para as próximas etapas. Segundo o chefe do time, Eric Boullier, não é pior ter um piloto inexperiente como Magnussen no time, a única coisa necessária é fazê-lo entender que andar rápido na Fórmula 1 pode não ser uma coisa repentina se o carro não está bom.

"Eu não acho que é mais difícil ter um piloto novato ao invés de dois pilotos experientes", disse Boullier, que se juntou à equipe neste ano.

"Quando você tem alguém mais experiente como Jenson, se pode obter mais detalhes e você começa a cavar mais nos problemas para encontrar soluções. Mas os novatos agora, especialmente Kevin, podem fazer o trabalho e oferecer feedback suficiente para liderar ou pelo menos responder a algumas das perguntas da equipe de engenharia.”

"Kevin está enfrentando a síndrome do estreante: todos eles são provenientes de categorias das quais passam rapidamente. Onde eles têm mais problemas é em entender que os carros devem ser desenvolvidos para dar certos resultados. Se você não tem o melhor carro, você não pode lutar pela vitória.”

"Mas o resto está bom para ser honesto. Ele está se adaptando bem, é muito consistente e seu feedback é bom o suficiente para auxiliar a equipe de engenharia ao redor dele para fazer o carro mais rápido. Ele está indo muito bem para um novato."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias