Para Heidfeld, ver corrida pela tevê foi "emocionalmente difícil"

Alemão acompanhou o GP da Itália fazendo exercícios em casa e deixou claro que gostaria de voltar à Fórmula 1

Heidfeld sofreu ao se ver longe da F-1

Nick Heidfeld assistiu ao GP da Itália fazendo exercícios em sua casa na Suíça. O piloto alemão, substituído por Bruno Senna na equipe Renault desde o GP da Bélgica, admitiu que a experiência não foi fácil. “Foi diferente porque em Spa eu ainda estava presente como membro da equipe Renault. E foi emocionalmente difícil, porque eu ainda me sinto como um piloto de Fórmula 1, que deveria estar pilotando”, afirmou em entrevista ao semanário “Speedweek”.

“Quando aconteceram condições de sonho como a que tivemos em Monza, com muitos abandonos abrindo grandes possibilidades, doeu ainda mais. Mas continuarei mantendo a forma, pois não quero me acostumar a assistir aos GPs pela televisão”, disse Heidfeld, deixando clara sua intenção em voltar à Fórmula 1.

Sobre a forma da Renault na Itália, o alemão fez uma análise correta, mas evitou comentar o trabalho de seu substituto. Bruno Senna encerrou a prova em nono lugar e somou seus primeiros pontos na categoria. “Vitaly (Petrov) mostrou o potencial das atualizações do carro. Ele se classificou na frente de Schumacher no grid. O objetivo de ultrapassar a Mercedes no Mundial de Construtores parecia realista. Infelizmente, a Mercedes conseguiu aumentar a distância para nós graças ao ótimo quinto lugar de Schumacher na corrida”.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Itália
Pilotos Nick Heidfeld
Tipo de artigo Últimas notícias