Para Niki Lauda, vitória de Ricciardo na Hungria foi sorte

Dirigente da Mercedes aponta primeiro Safety Car como fundamental para a conquista do piloto da Red Bull

A segunda derrota da Mercedes em 11 etapas disputadas no ano foi uma questão de azar para o chefe não-executivo do time, Niki Lauda. Ouvido pelo TotalRace após o GP da Hungria, o tricampeão da Fórmula 1 nos anos 1970 e 80 afirmou que Daniel Ricciardo só venceu porque estava no lugar e hora certos em uma corrida complicada em termos de estratégia.

[publicidade]Ricciardo vinha na sexta colocação quando o primeiro Safety Car foi à pista. Os quatro primeiros pilotos já haviam passado a entrada dos boxes e não puderam trocar os pneus imediatamente, perdendo tempo. O piloto da Red Bull, contudo, teve uma parada mais rápida que a de Jenson Button, que vinha em quinto, e emergiu na ponta da corrida.

Para Lauda, isso foi fundamental para o resultado. “Se você tivesse uma corrida normal, com dois pit stops, como estávamos prevendo antes da largada, seria muito mais fácil. Foi uma corrida dura em termos de táticas e Ricciardo foi sortudo por ter sido chamado durante o Safety Car no momento certo. É o tipo de coisa que não dá para planejar.”

Por conta da dificuldade de leitura da prova, o consultor não quis culpar os estrategistas de sua equipe pelo fato de Nico Rosberg ter largado na pole position, mas chegado apenas no quarto lugar.

Para Lauda, isso foi resultado de um GP atípico. “Foi uma corrida difícil para os estrategistas se certificarem que tinham o pneu certo no momento exato. Foi um trabalho duro para todos.”
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias