Para pilotos, temperatura será chave para decidir a estratégia

Como simulações de corrida foram feitas com pista mais fria, equipes não sabe quantas voltas os pneus vão durar

Prova não deve ter muitas paradas

 

Vai ter muita gente olhando a previsão do tempo durante o GP do Canadá. Mas, dessa vez, a questão não é a chuva, que deve ficar longe. O quanto a temperatura vai aumentar de sexta-feira até a corrida será fundamental, tanto para o rendimento relativo de cada carro, quanto para o número de paradas.

“Vendo os dados da sexta-feira, talvez haja a possibilidade de ir a uma parada, mas estava muito mais frio do que hoje e do que estará amanhã. Portanto, creio que, com o calor, o mais normal será parar duas vezes”, analisou Fernando Alonso ao TotalRace.

Na sexta-feira, quando as equipes fazem a maior parte de suas simulações de corrida, o céu estava encoberto e a temperatura da pista não passou dos 28ºC – e isso apenas no final do segundo treino livre. Na classificação, os termômetros chegaram a marcar 40ºC no asfalto e a expectativa é de ainda mais calor para este domingo.

“Acho que é possível fazer uma parada, mas é difícil prever”, admitiu o pole Sebastian Vettel. “Obviamente, tenho um plano A na minha cabeça e talvez um plano B, mas as coisas podem mudar rapidamente aqui, com um Safety Car na hora certa ou errada. É difícil saber, mas acho que vai ficar entre uma ou duas paradas.”

É o mesmo cenário apontado por Felipe Massa, que se mostra confiante com o ritmo de corrida de sua Ferrari. “Aqui não é difícil ultrapassar para quem tem boa velocidade. Fiz uma simulação com bastante combustível que foi muito, muito rápida. É importante acertar tudo, pois terei carros velozes largando ao meu redor, e fazer a estratégia certa, com uma ou duas paradas.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Canadá
Pilotos Fernando Alonso , Felipe Massa , Sebastian Vettel
Tipo de artigo Últimas notícias