Para Pirelli, guerra de pneus não interessa: “Não vai acontecer”

“É uma daquelas áreas onde você tem que perguntar: qual benefício você ganha?”, questiona chefe da marca

Sem guerra de pneus desde 2006, ano que a campeã Michelin decidiu se retirar da categoria, a Fórmula 1 não terá guerra de pneus nos próximos anos. Pelo menos é isso que garante o diretor esportivo da fornecedora oficial de pneus, Paul Hembery. Para ele, os pneus – Pirelli ou não – não podem se tornar a estrela do espetáculo.

[publicidade]"A competição não vai acontecer e as equipes não querem isso. Em última análise, deve ser um campeonato de pilotos em primeiro lugar, e tem gente que não está nem querendo ter diferentes fornecedores de motores”, colocou Hembery.

“Assim, a oportunidade de ter concorrência entre fabricantes de pneus é quase impossível na realidade. É uma daquelas áreas onde você tem que perguntar: qual benefício você ganha?”

"Pessoalmente, eu acho que seria muito interessante ter um tipo diferente de desafio, mas quando alguém ganha é sempre carro e piloto. Em segundo vêm os pneus. É uma situação sem vitória. O que acontece geralmente ao longo do tempo é que alguém desaparece. Você pode ter cinco fabricantes envolvidos, mas dentro de dois ou três anos três deles podem desaparecer, porque só um está ganhando.”

"Isso tende a acontecer com todos os componentes, e vimos com pneus na última guerra que tivemos. Você tem que ser um pouco pragmático. Qualquer esporte precisa que o herói seja o elemento humano, e na F-1 ele é o motorista. Assim os fãs mais felizes".

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias