Perez em Mônaco: três GPs, algumas pancadas e nenhum ponto

Mexicano aponta que "circunstâncias diferentes" o fizeram zerar em Monte Carlo e diz pilotar "muito bem" no Principado

Sergio Perez sempre andou forte em Mônaco, mas ainda não sabe o que é terminar a prova nos pontos no Principado. Em sua estreia, em 2011, colocou a Sauber no Q3, mas bateu de maneira muito forte na chicane da saída do túnel e não foi liberado pelos médicos para disputar a corrida. No ano seguinte, bateu novamente na classificação, mas agora no Q1, nos esses da piscina, largou no fundo do pelotão e chegou em 11º.

Neste ano, o mexicano estava na sexta colocação quando colidiu com Kimi Raikkonen e acabou abandonando pouco depois com problemas em sua McLaren. Perguntado sobre a marca negativa no Principado, Perez afirmou que “foram diferentes circunstâncias, mas acredito que faço um ótimo trabalho aqui.”

Falando sobre as disputas que travou com campeões do mundo durante a prova, Perez elogiou a postura de Button e Alonso e apontou que Raikkonen deveria ter lhe dado mais espaço, pois luta pelo campeonato. O piloto foi duramente criticado pelo finlandês.

“Você tem de equilibrar a linha entre o agressivo e o estúpido. Acho que hoje fui tão agressivo quanto qualquer outro piloto. Fiz a mesma manobra com Fernando e Jenson, pilotos que lhe dão espaço suficiente. Mas acho que Kimi tinha mais a perder hoje: está lutando pelo campeonato e, por não querer perder uma posição, acabou perdendo mais hoje.”

A cinco voltas do final, Perez abandonou com problemas nos freios e lamentou pela equipe, que fez um bom trabalho neste final de semana, colocando ambos os carros no Q3. “É uma pena por minha equipe. O principal problema foi a temperatura dos freios.”

A única McLaren que viu a bandeirada foi de Jenson Button, sexto colocado. O inglês teve uma corrida movimentada.

“Estava tudo correndo bem nas primeiras voltas, foi divertido. Depois, o Safety Car logo depois da parada não foi bom. Toquei na traseira de Fernando no hairpin e não estava prestando muita atenção quando Checo colocou de lado na chicane. Depois, Sutil conseguiu uma grande manobra no hairpin – nem achava que era possível, pois tinha tentado isso com Fernando. É uma daquelas corridas em Mônaco em que primeiro você tem de terminar. Aproveitei a confusão de Checo com Kimi para colocar por dentro de Fernando na Rascasse, o que foi divertido. O importante é que, quando tivemos pista livre, o ritmo era bom. Podemos ficar otimistas para as próximas provas.”

O inglês, no entanto, não deixou de alfinetar o companheiro, com quem se encontrou novamente durante a prova. “Espero que nas próximas provas possamos marcar mais pontos, com Checo terminando as corridas. Isso seria importante para a equipe. Por duas vezes, ele tentou me passar na chicane, virou em cima de mim e acabou indo reto. Reclamaria pelo rádio caso fosse qualquer piloto. Não vou deixar ninguém saltar a chicane e ficar por isso. Ele teve de devolver a posição assim como Fernando devolveu a ele depois. Ele fez um grande trabalho com as ultrapassagens, tirando a última”, cutucou o inglês, referindo-se à batida com Raikkonen.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Monaco
Pilotos Jenson Button , Sergio Perez
Tipo de artigo Últimas notícias