Petrov sente pressão de Senna, admite Boullier

"Acho que Vitaly está indo bem, mas talvez esteja mais preocupado pelo fato de Bruno estar se encaixando muito bem na equipe", destaca

Bruno Senna: suando a camisa e agradando na Renault

Para Eric Boullier, Bruno Senna já consegue incomodar Vitaly Petrov dentro da equipe Renault, mesmo após três corridas apenas como titular.

Segundo o chefe do time gaulês em entrevista à "Autosport", o brasileiro chegou bastante enturmado com a equipe, já superou o russo por duas vezes e vem atraindo mais a atenção dos membros da escuderia.
 
"Acho que Vitaly está indo bem, mas talvez esteja mais preocupado pelo fato de Bruno estar se encaixando muito bem na equipe e tomando mais atenção, além da velocidade. Na pista, há muito espaço para eles se desafiarem", comenta.
 
Boullier admitiu que Bruno entrou em uma fase não muito boa da equipe, com pistas que não se adaptavam bem ao carro, mas que tudo deve melhorar nas corridas finais da temporada 2011.
 
"Seu aprendizado é bom e ele ganha algo a cada corrida. Quero ser justo, sabemos que Spa seria difícil pelo tempo, Monza é uma pista bem específica, assim como Cingapura. Além disso, não tivemos o melhor carro", analisa.
 
"A partir do Japão, ele vai encaixar melhor o quebra-cabeças e entregar mais", resume Boullier, que também precisa lidar com um outro problema: o possível retorno de Robert Kubica, cuja palavra final será dada em algumas semanas.
 
"Me comprometi a esperar após o comunicado de Robert, então vamos ver mais tarde. Tive de me forçar a colocar uma data limite. Se você ficar atrasando e atrasando, então você coloca os interesses da equipe em perigo."
 
"Tive de adotar um deadline. Tenho que trabalhar com esta data para pelo menos entender que existe uma chance de Robert voltar", completa.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias