Piloto da casa, Karthikeyan comemora ter chegado ao final

Indiano precisou poupar os freios para chegar até o fim. Já as Toro Rosso não conseguiram repetir o mesmo desempenho da Coreia

Ricciardo em Buddh

Diferentemente do que ocorreu na Coreia, em Buddh os dois carros da Toro Rosso não tiveram um bom desempenho e ficaram fora da zona de pontuação. Vergne ainda teve a corrida prejudicada por um toque com Schumacher na largada. Já o piloto da casa, Narain Karthikeyan, da HRT, ficou feliz por terminar a corrida, apesar de problema nos freios. O mesmo problema que causou o acidente de seu companheiro. Veja o que cada piloto falou:

Toro Rosso
Daniel Ricciardo, 13 º: "Tive uma primeira volta bem agitada. Eu estava no lado sujo do grid, mas, para ser honesto, fiz o melhor possível com o nível de aderência que tinha. Não foi o suficiente para manter a minha posição. O Di Resta passou e eu ultrapassei o Schumacher, que teve problema na curva um. Aí, houve uma confusão na curva quatro e eu dividi a pista com mais dois carros, Di Resta e Bruno Senna. Estava do lado de fora e tive de recuar. Tentei forçar bastante depois, mas não tive um bom ritmo. Depois da primeira parada o carro ficou bem melhor, mas não foi o suficiente para chegar no Di Resta e, no final, ainda tive que me proteger do Kobayashi. Não foi exatamente uma corrida emocionante. Vamos tentar novamente domingo que vem em Abu Dhabi”.

Jean-Eric Vergne, 15º: "Assim que as luzes se apagaram, fiquei preso entre dois carros e tive de frear mais cedo do que gostaria. Travei minhas rodas e toquei em Schumacher, que quebrou minha asa dianteira. Tive de ir aos boxes e minha corrida ficou complicada depois disso. Tentei acelerar o quanto pude, mas o desempenho do meu carro não foi muito bom neste fim de semana. De certa forma, é uma corrida para esquecer, mas, por outro lado vamos ver se iremos melhor em Abu Dhabi. Vimos que, mesmo quando as corridas são próximas, isso não significa que o desempenho será o mesmo em ambas”.

Caterham
Vitaly Petrov, 17º: "Eu tive um começo muito bom, junto ao Heikki. Estávamos muito rápidos, mantendo um bom ritmo até as primeiras paradas. Os níveis de degradação foram realmente bons no primeiro jogo de pneus, por isso optamos por mudar a estratégia de duas para uma parada. Eu saí logo atrás do meu companheiro de equipe e, em seguida, o ultrapassei, quando ele teve um problema com o KERS. Fiquei em 15º, mas ainda faltavam muitas voltas e havia carros mais rápidos, que me ultrapassaram e terminei em 17º. Apesar disso, foi uma boa corrida. O carro estava ótimo e todo mundo trabalhou muito duro durante todo o fim de semana. Temos algumas peças novas chegando à próxima semana em Abu Dhabi, então vamos ver o que acontece lá”.

Heikki Kovalainen, 18º: "Meu começo foi bom. Eu estava em 17º após a primeira volta e mantendo um bom ritmo com o Kobayashi. Nós tínhamos planejado fazer duas paradas, mas com a forma como o carro estava se comportando, fizemos um longo stint e mudamos para uma. Tive uma boa parada, mas no último terço da prova tive um problema no KERS e, por isso, deixei Vitaly me passar. Depois disso, foi realmente apenas uma questão de levar o carro até o final. Sem KERS, obviamente, tive problemas, mas ainda estava muito fácil manter os carros de trás longe. Sem esse problema, tenho certeza que teria terminado mais à frente. Agora vamos olhar para as outras provas. Em Abu Dhabi, teremos algumas atualizações no carro que podem nos ajudar a diminuir a diferença para os pilotos da frente”.

Marussia
Charles Pic,19: "Foi uma grande corrida para mim, especialmente depois de uma qualificação decepcionante. Hoje, nós tivemos chance de mostrar nosso ritmo e estou muito feliz por isso. Tive um começo muito bom, ganhando cinco posições na curva um, ficando à frente do Petrov. Eles têm a vantagem do KERS, então não demorou muito para que ele fosse capaz de me passar. Mas no resto da corrida ficamos junto das Caterham e teria chegado ao Kovalainen se não tivesse de diminuir constantemente devidos às bandeiras azuis. Com certeza, tínhamos ritmo. Fizemos uma grande parada nos boxes. O trabalho dos mecânicos hoje foi ótimo. Estou ansioso para Abu Dhabi, onde tudo correu tão bem para mim no teste de jovens pilotos no ano passado. É um circuito que conheço bem e espero bom resultado lá”.

Timo Glock, 20: "Foi uma corrida muito estranha para mim. Eu estava no lugar errado na curva um e perdi algumas posições. Então, fiquei preso atrás de Petrov por um bocado de voltas e, enquanto isso, o pessoal de distanciou. Eu também sofri bastante vibração no meu pneu dianteiro direito, especialmente no setor dois. Assim, em 25 voltas, eu já tinha de lidar com muitas bandeiras azuis. O mesmo ocorreu no final. Por causa disso a gente acaba perdendo muito tempo, e é impossível de recuperar. Eu estou ansioso para Abu Dhabi, espero uma corrida melhor para nós”.

HRT:
Narain Karthikeyan, 21º: "Tive um bom início, mas, devido a um incidente na primeira curva, perdi um pedaço da minha asa dianteira. O dano não foi muito grave, mas tivemos problemas com o equilíbrio do carro a partir de então. Fora isso, o maior problema foi o superaquecimento dos freios. Avisaram-me no rádio que eu precisava cuidar deles até o fim, e foi o que fiz. Hoje, nós demos o máximo do que tínhamos e eu estou feliz por ter terminado minha corrida em casa”.

Pedro de la Rosa, 22º: "Foi uma pena o meu abandono, porque o carro estava funcionando bem com os pneus duros. Mas, sem nenhum aviso, os freios falharam. Este circuito é muito exigente, com três curvas rígidas em sequência, e isso pode acontecer. O importante é que estou bem e que o carro não está muito danificado para Abu Dhabi. Precisamos entender o motivo dessa falha ter acontecido e corrigir,  pois Abu Dhabi é outro circuito desafiador para os freios”.

 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Índia
Pilotos Pedro de la Rosa , Narain Karthikeyan , Heikki Kovalainen , Timo Glock , Vitaly Petrov , Daniel Ricciardo , Charles Pic
Tipo de artigo Últimas notícias