Pirelli leva pneu duro a Suzuka e espera amplo leque de estratégias

Para Lucas Di Grassi, ainda que o aquecimento dos pneus não seja problema, os pilotos terão trabalho na corrida

A Pirelli mudou sua escolha de compostos para o GP do Japão em relação ao ano passado, trocando o médio pelo duro para fazer companhia ao composto macio. Com isso, a expectativa é de aumentar o leque de estratégias. “Suzuka não é muito leve com os pneus porque há muitas demandas pesadas: a primeira parte da volta, por exemplo, é só curva depois de curva, então os pneus estão constantemente trabalhando sem chance de esfriar”, lembra o piloto de testes da empresa italiana, Lucas Di Grassi. “Por isso, o aquecimento não é problema, mas é claro que você tem de cuidar em um stint mais longo, particularmente quando o carro está pesado. O pneu macio deve ser o preferido na classificação, mas espero que o duro seja prioridade na corrida.”

O circuito de Suzuka é, junto de Barcelona, o que coloca mais energia no pneu devido ao grande número de curvas de alta, como as famosas 130R e a Spoon. Por isso, é esperado que os pilotos tenham trabalho para fazer os compostos durarem durante a corrida. “O traçado traz um desafio técnico: é um circuito clássico em que os pilotos prevalecem, como Spa ou Monza, com algumas das melhores curvas do ano e pouca margem para erro”, compara o diretor esportivo da Pirelli, Paul Hembery. “Mesmo que estejamos levando o pneu duro, na verdade ele é mais macio [que ano passado]. Espero que, com a diferença maior entre os compostos, tenhamos performance e ainda mais emoção. Isso deve abrir a oportunidade para várias estratégias diferentes e levar pilotos a terem bons resultados mesmo largando mais atrás.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Japão
Tipo de artigo Últimas notícias