Pirelli: pressões de pneus são estabelecidas "por uma razão"

Chefe da fabricante cita que andar abaixo da pressão é inseguro segundo estudos e afirma que este foi único caso no final de semana

O chefe da Pirelli na Fórmula 1, Paul Hembery, criticou o fato da Mercedes ter andado com a pressão de pneus abaixo do permitido em Monza. O pneu traseiro esquerdo de Hamilton estava 0.3 PSI abaixo dos 19.5 recomendado. Já Rosberg, que não completou a prova, estava 1.1.

"No final das contas, é desempenho", disse Hembery sobre as configurações mínimas de pressão dos pneus. "Isso cria potenciais problemas para nós em termos de integridade do composto, mas também é uma vantagem de desempenho. É um pacote completo e está estabelecido por uma razão.”

 

 

"Se nós estamos colocando uma margem sob uma situação, você não pode ignorar porque esta pista é dura com o pneu dianteiro esquerdo.”

"Sabíamos que ia ser uma corrida de uma parada, por isso teríamos um elevado número de voltas nos pneus. Por isso todos deveriam seguir os planos."

Os times haviam sido avisados antes de Monza sobre as configurações obrigatórias da pressão dos pneus. "Apenas um lembrete, para refrescar a mente das pessoas", disse Hembery.

Quando pressionado sobre se a Pirelli havia se deparado com outras violações durante o fim de semana, ele respondeu: "Não é verdade." Mais cedo no grid, quando perguntado pelo ex-piloto e comentarista da Sky Sports F1, Martin Brundle, se as equipes estavam levando o assunto à risca, ele disse: "a maioria."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Itália
Pista Monza
Pilotos Lewis Hamilton
Equipes Mercedes
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags pirelli