Pneus complicam a vida dos pilotos do meio para o fim do pelotão

Sauber, Renault e Maldonado, da Williams, tentam estratégias diferentes, mas têm corridas difíceis em Valência

Heidfeld beliscou pontos para a Renault

As Sauber ficaram fora dos pontos, mesmo com a aposta de apenas uma parada para Sergio Perez. Outra equipe que teve uma corrida decepcionante foi a Renault, 10ª com Heidfeld e 15ª com Petrov. Os pilotos não conseguiram fazer os pneus funcionarem. Pastor Maldonado, 18º com a Williams, fez a mesma reclamação.

Veja o que disseram os pilotos que terminaram do meio para o final do pelotão:

Nick Heidfeld, Renault, 10º: “O que nos custou um pouco hoje foram nossas largadas. Perdi a posição para Adrian [Sutil] e depois tive de lutar forte para não cair mais. Terminei mais ou menos onde estive pela maior parte da corrida. É um ponto a mais ganho pelo time, mas não esperava terminar atrás de uma Force India e uma Toro Rosso.”

Vitaly Petrov, Renault, 15º: “Claro que estou desapontado com a corrida de hoje. Fiquei muito surpreso que os pneus não duraram para nós em relação ao que alguns competidores conseguiram fazer. Precisamos analisar onde e porque estamos perdendo ritmo.”

Sergio Perez, Sauber, 11º: “Não foi um GP fácil para voltar depois do acidente e estou feliz que tenha conseguido correr de novo. Dei 100%, mas temo que isso tenha sido o máximo que poderíamos obter hoje. No entanto, vamos analisar como melhorar para o futuro. Tenho certeza de que Silverstone será melhor.”

Kamui Kobayashi, Sauber, 16º: “Foi uma prova muito dura para mim. Tive dificuldades o tempo todo e, em momento algum, consegue obter um bom desempenho para lutar. Foi duro lidar com os pneus. Temos trabalho a fazer, com certeza”

Pastor Maldonado, Williams, 18º: “Tive uma largada ruim, então perdi algumas posições. Não consegui fazer o pneu médio funcionar e parei cedo, o que nos forçou a uma estratégia de três pitstops. Foi difícil fazer isso dar certo vindo do fundo do pelotão e não conseguimos recuperar.”

Heikki Kovalainen, Lotus, 19º: “Foi uma corrida muito boa para mim. Estou feliz, porque parece que voltamos à forma depois de Mônaco e Canadá, onde eu realmente não estava me sentindo confortável com o carro. Sabemos que temos de melhorar para lutar com as equipes à frente, e isso virá com o tempo. É um plano a longo prazo e estamos definivamente na direção certa.”

Jarno Trulli, Lotus, 19º: “Tentamos estratégias diferentes para cobrir todas as possibilidades e, mesmo que meu segundo jogo de pneus tenha acabado no final, tentei me divertir.”

Timo Glock, Virgin, 21°: "Foi um fim de semana positivo para nós, eu acho. Tudo correu tranquilamente e não tive problemas nos três dias. Tive uma volta inicial muito boa, passando as Lotus e uma Toro Rosso, apesar de ele ter me passado de volta. Com a permissão da asa móvel, não consegui segurar as Lotus e fiz minha própria corrida. Em uma prova sem abandonos, foi o máximo que pude fazer."
 
Jerome D'Ambrosio, Virgin, 22°: "Estou muito feliz com a corrida de hoje, mais que a classificação. Perdi um bom tempo no primeiro stint atrás do [Vitantonio] Liuzzi, tive um bom segundo stint e tudo isso foi uma ótima experiência. No geral, estou feliz com meu fim de semana e por ter terminado outra corrida."
 
Vitantonio Liuzzi, Hispania, 23°: "Foi uma corrida realmente difícil, pois estávamos sofrendo com os pneus traseiros. Fomos incapazes de disputar com a Virgin, pois paramos uma vez a mais. Precisamos lutar muito se quisermos manter o ritmo de nossos competidores. É uma pena, pois queríamos um resultado melhor."
 
Narain Karthikeyan, Hispania, 24°: "Como esperado, o carro estava bem difícil de pilotar por causa do calor. Os pneus traseiros degradaram muito e tivemos problemas de freio. Tive uma corrida solitária e cheguei ao fim, mas não dá pra tirar tantas coisas positivas."

>> >> >> >> >> >> >> >> >>

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Europa
Tipo de artigo Últimas notícias