Por segurança, FIA testará nova câmera em treino livre

Para obter mais dados do efeito dos acidentes nos pilotos, entidade colocará nova câmera virada de frente para os capacetes

A FIA pretende testar nas próximas corridas uma nova câmera virada para o capacete dos pilotos. O objetivo da novidade é ajudar nos estudos para a prevenção de ferimentos na cabeça.

A câmera, que substituirá uma já existente, irá gravar em 400 quadros por segundo - o que é 16 vezes melhor do que a tecnologia utilizada atualmente. Com isso, irá fornecer mais informações dos acidentes e seus efeitos nos pilotos em sua busca por melhorar a segurança.

"Nós temos já há um bom tempo arquivos de acidentes, o que tem sido útil. Mas é claro, tudo está velocidade baixa e não mostra o que acontece com o piloto durante os milissegundos em que ocorre o impacto", disse Andy Mellor, assessor técnico do Instituto da FIA.

A empresa italiana Magneti Marelli vem desenvolvendo uma câmera da F1 - muito menor e mais leve do que as câmeras atuais de alta velocidade - há um ano. A nova unidade tem cerca da metade do tamanho de um celular e será crucial para o entendimento de incidentes como o de Fernando Alonso durante os testes de pré-temporada, em Barcelona. Ela também grava dados na telemetria dos carros em tempo real.

"Temos estudado o conceito das câmeras de alta velocidade já há muitos anos, mas, até agora, a tecnologia não havia sido suficientemente desenvolvida para esta aplicação", disse Mellor.

Acredita-se que a FIA teste a nova câmera em treinos livres antes do final da atual temporada.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias