Presente no tribunal, Horner não engole defesa da Mercedes

Chefe da Red Bull pede sanção desportiva ao time alemão e se diz contra multa apenas em dinheiro

Horner chegando ao tribunal em Paris

Único chefe de equipe, além de Ross Brawn, a estar presente no julgamento da Pirelli e da Mercedes, nesta quinta-feira em Paris, Christian Horner, da Red Bull, saiu do tribunal sem se convencer dos argumentos de defesa do time alemão. A Mercedes está sendo acusada de colher informações indevidamente, após usar o carro atual para um teste pedido pela fornecedora oficial de pneus da Fórmula 1.

“Não me convenci”, respondeu à ESPN. “Mas agora é com o tribunal. Eles têm os fatos e confio neles para tomar a decisão. Não é minha função comentar qual deve ser a pena, mas quando se comete uma infração desportiva, deve haver uma sanção desportiva. Eu acho que é bastante claro que, se você usa o carro atual para testar, você vai conseguir informações”, comentou Horner.

Pelas atuais regras da F1, as equipes não podem fazer testes durante a temporada e a Mercedes teria furado este acordo ao usar o carro atual para testar pneus que estão sendo preparados pela Pirelli para 2014. Horner não gostaria de ver apenas uma multa em dinheiro para o time alemão.

“Se a punição for apenas financeira, então a relação custo-benefício pode ser vantajosa em caso de testes durante a temporada. O mais importante é saber: ou você pode testar ou não pode. E as regras me parecem claras neste momento”, conclui o dirigente da Red Bull.  
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias