Prestes a conquistar o bi, Vettel ganha o respeito dos colegas

Pilotos valorizam a temporada sem erros do alemão e destacam sua contínua evolução

Vettel pode ser campeão já em Cingapura

Sebastian Vettel está prestes a vencer seu segundo campeonato na F-1, mas já pode se gabar do respeito dos colegas. Depois de ser criticado pelos erros no ano de seu primeiro mundial, hoje ninguém ousa questionar a qualidade do alemão, que venceu oito das 13 etapas até agora e teve como pior resultado um quarto lugar.

“Ele tem o melhor carro do grid, se adaptou muito rápido com os pneus Pirelli – e isso com certeza foi muito importante – e está aproveitando a oportunidade que ele tem. A equipe está apoiando ele, sempre foi um cara extremamente capaz, se classifica muito bem, tem ritmo forte na corrida”, lista Bruno Senna. “Acho que tem um pacote muito bom na mão. É muito rápido, preciso, e está se polindo, não comete mais os erros que vimos no ano passado. Acho que tem tudo para ser um dos caras que vai ganhar mais campeonatos na F-1.”

Se a previsão do piloto brasileiro se confirmar, isso quer dizer que estaríamos presenciando o surgimento de um novo Michael Schumacher. Logo o alemão, que serviu de inspiração para o jovem de 24 anos.

“Primeiramente, Sebastian é um amigo. Nos conhecemos há muito tempo, desde que ele estava no kart. Tenho muito orgulho de ver ele correndo como está, porque ele representou nosso país nos anos em que eu não estava e, por enquanto ainda não, mas espero em um futuro próximo, poder lutar contra ele”, afirmou o heptacampeão.

“Naturalmente, diria que ensinei a ele todas as boas coisas”, brincou o piloto da Mercedes. “Mas tem momentos em que você tem de perceber por si próprio e observar o que os outros fazem. Ele conseguiu ver naquilo que os outros faziam o que era melhor para seu estilo e creio que eu tenha sido um bom exemplo.”

Perguntado pelo TotalRace se tem aprendido algo com seu pupilo Vettel, Schumacher afirmou que sim.

“Somos muito similares nisso. Presto atenção em todos, em suas performances, e em como eles estão fazendo as coisas. Trabalho comigo mesmo da mesma maneira como o acerto do carro. Sempre há o que melhorar e isso significa que você tem de mudar, de se adaptar à situação.”

Falando em melhorar, as opiniões dos pilotos se dividem quando o assunto é a evolução do Vettel de 2010 para cá. Há quem acredite que o alemão não teve culpa por ‘complicar’ um campeonato que em tese seria fácil.

“Acho que ele ganharia o título ano passado com tranquilidade não fossem aquelas quebras e infelicidades que teve no decorrer do campeonato. Ele já é o homem a ser batido há muito tempo. Apesar da torcida ter sido grande para o Webber no ano passado, acho que quem merecia no final das contas era o Vettel. Era aquele cara que estava ganhando e quebrava ou batia. Nos últimos dois anos, ele é o homem a ser batido – ou o menino a ser batido”, define Rubens Barrichello.

Para Timo Glock, o piloto da Red Bull evoluiu de 2010 para cá – tanto, que até colocou dinheiro no compatriota.

“Quando Sebastian ganhou o título do ano passado, ele teve muitos altos e baixos. Este ano, acho que ele conseguiu ter uma temporada praticamente perfeita até agora. Coloquei dinheiro que ele vai ganhar nesse final de semana, então vai ter de forçar.”

Schumacher, inclusive, elogiou a postura do pupilo, que tem atacado mesmo com uma vasta vantagem na tabela.

“Não acho que seja possível quantificar porque cada ano é diferente. Ele potencializou suas oportunidades, tanto ano passado quanto nesse ano. Se você olhar para Monza, ele não precisava ganhar aquela corrida, mas ainda assim ele tem muita vontade de fazê-lo. É isso que o torna um campeão, porque você tem de lutar com ele e ele está disposto a lutar.”

Enquanto o professor se orgulha do menino que foi tantas vezes ao GP da Alemanha para vê-lo em um passado não muito remoto, a nova geração, principalmente aqueles que chegaram na F-1 pelo mesmo caminho de Vettel, o programa de desenvolvimento da Red Bull, se espelha em seu trabalho.

“Conheço Sebastian há muito tempo”, afirmou Sebastien Buemi. “Ele ganhou tudo o que correu e está fazendo um grande trabalho, especialmente ano passado quando conseguiu o título na última corrida. Este ano ele teve uma temporada perfeita, não tem o que falar, ganhou quase todas as corridas. Ele está tirando o máximo do carro e da equipe. Fez um trabalho melhor que os outros.”

Daniel Ricciardo segue na mesma linha. “Ele é um bom exemplo para os pilotos jovens. Acho que se nós pudéssemos repetir ou talvez até tentar fazer melhor, é o máximo que se pode fazer. Ele definitivamente estabeleceu o padrão máximo, especialmente para nós do programa de desenvolvimento de pilotos da Red Bull. Vamos tentar fazer o mesmo.”

Mas também há de se destacar o valor do carro no sucesso de Vettel. Afinal, o alemão teve a chance de vencer com um verdadeiro torpedo na mão – e aproveitou a oportunidade.

“Acho que na F-1 o que vale é o pacote. Se um piloto é muito rápido, mas não tem um carro bom, ele não vai vencer o campeonato”, lembra Kamui Kobayashi. “Acho muito difícil julgar quem é o melhor piloto, mas no momento ele é o mais forte, tem feito uma ótima temporada. Ele está a instantes de ganhar o campeonato e isso ninguém esperava, mas significa que fizeram um grande trabalho enquanto os outros falharam.”

(Colaborarou Luis Fernando Ramos, de Cingapura)

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Cingapura
Pilotos Michael Schumacher , Rubens Barrichello , Timo Glock , Bruno Senna , Sébastien Buemi , Daniel Ricciardo
Tipo de artigo Últimas notícias