Protestos contra F-1 no Bahrein deixam um morto no fim de semana

De acordo com uma investigação independente, 35 pessoas foram mortas apenas entre meados de fevereiro e março

Último GP no Bahrein foi disputado em 2010

Os protestos contra o GP do Bahrein de F-1, que acontece em menos de três semanas, deixaram um morto neste final de semana. Ahmed Ismael Abdulsamad levou um tiro enquanto filmava um protesto em Salmabad.

De acordo com a oposição, o tiro saiu de um carro civil ocupado por uma milícia que tem suporte das forças do governo.

Ainda que o chefão da F-1 Bernie Ecclestone e as equipes garantam que o GP do Bahrein, marcado para daqui menos de três semanas, não será cancelado, os protestos têm se intensificado nos últimos dias, em eventos que vêm tendo grande repercussão nas mídias sociais.

No Twitter, são usadas hashtags como BloodyF1 e NoF1, chamado a prova de “corrida sangrenta”. Os manifestantes são contra o GP ser realizado em meio à crise. De acordo com uma investigação independente, 35 pessoas foram mortas apenas entre meados de fevereiro e março.

A corrida já foi cancelada ano passado devido às tensões políticas e confrontos causados pela disputa entre a maioria xiita e o governo, que representa a minoria sunita no país árabe.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Bahrein
Tipo de artigo Últimas notícias