Quem não respeitar a equipe está fora, avisa chefe da Mercedes

Toto Wolff diz que a equipe considera trocar seus pilotos caso Hamilton e Rosberg voltem a bater

Se há alguém com decisões importantes a tomar pela frente dentro da Fórmula 1, é o chefe da Mercedes, Toto Wolff. Sua missão é controlar a disputa interna entre Nico Rosberg e Lewis Hamilton de um modo saudável para promover a empresa alemã – e impedir uma catástrofe: a perda de um título tido como praticamente certo desde o início do ano.

A tendência natural é que, devido à vantagem de equipamento que Rosberg e Hamilton têm, a disputa se resuma aos dois – e é exatamente por isso que surgem os problemas. Sem precisar preservar os interesses da equipe em relação a algum rival em potencial, eles podem lutar entre si. Porém, devido a quebras e um toque logo na segunda volta do GP da Bélgica, o fato é que Daniel Ricciardo, da Red Bull, conquistou 50 pontos nas últimas duas provas, contra 30 de Rosberg e 15 de Hamilton.

Com esse cenário, Wolff já avisou: quem não obedecer às determinações do time, está fora. “Teríamos que tomar decisões e lidar com as consequências de ter uma dupla de pilotos diferente. Se não conseguirmos administrar os dois seguindo o espírito da Mercedes, teremos de admitir isso.”

Atualmente, tanto Hamilton quanto Rosberg têm contratos em andamento. O acordo do inglês vale até o final do ano que vem, enquanto o alemão acabou de ter o seu renovado até o final de 2016. Porém, Wolff deixou claro que, caso os dois voltem a bater, o cenário pode mudar. “Adoraríamos continuar com Lewis e queremos continuar com Nico. Eles sabem quais são nossas expectativas e não tenho dúvida de que não veremos um incidente como Spa no futuro. Deixamos claro que esse é um cenário inaceitável.”

O que a direção da Mercedes quer evitar é ter de impor ordens de equipe, o que seria ruim para a imagem da empresa. “O melhor cenário para nós é ficarmos no controle da situação para que não se complique mais do que aconteceu em Spa e que fiquemos no topo do campeonato, com um carro muito bom. Mas essa é uma organização que se esforça muito no que faz, que tem mais que 1000 pessoas que fazem parte da equipe e todos têm de seguir esse espírito.”
Com 12 etapas disputadas no campeonato, Rosberg é o líder, com 220 pontos, contra 191 de Hamilton.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias