Raikkonen espera classificação apertada no GP da Itália

Finlandês diz que não esperava ter o carro mais rápido em Monza, mas destaca que "ritmo de corrida não foi desastre”

Sexto colocado nos treinos livres para o GP da Itália, Kimi Raikkonen espera um final de semana com tempos muito próximos e destaca que mesmo a menor das melhorias que as equipes obtiverem antes do treino de classificação pode fazer a diferença.

“Não fomos os mais rápidos, mas não esperávamos ser, já que a última corrida foi um pouco complicada”, lembrou o finlandês, que, apesar do terceiro lugar no GP da Bélgica, teve dificuldades com o equilíbrio do carro.

“Certamente, será difícil estar na ponta na classificação, mas temos de tentar fazer o melhor que pudermos. Acho que será apertado, porque são poucas curvas e não tem como fazer muita diferença. Se você conseguir uma pequena melhora no acerto, isso pode ser decisivo para a posição de largada. Você sempre gostaria de ter mais aderência aqui, mas não tem jeito. Não estamos muito longe dos ponteiros e as simulações de corrida não foram nenhum desastre.”

Assim como a maioria dos pilotos nesta sexta-feira, Raikkonen teve dificuldade em melhorar seu tempo com os pneus médios, mas lembrou que o fato do traçado de Monza ter poucas freadas também torna difícil carregar as baterias do Kers.

“Não dá para fazer duas voltas lançadas em sequência porque o Kers não se recarrega o suficiente para a segunda. Então, ou você tem de fazer uma volta mais lenta ou ir para o box. É complicado carregar o Kers aqui, mas é o mesmo para todos.”  

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Itália
Pilotos Kimi Raikkonen
Tipo de artigo Últimas notícias