Red Bull não consegue fazer o Kers funcionar 100% do tempo

O projetista da equipe, Adrian Newey, reconhece que problemas de refrigeração fazem com que os líderes do mundial tenham que administrar as corridas

Newey reconhece problemas com o Kers

O mesmo filme se repetiu nas três etapas iniciais da temporada de Fórmula 1: a Red Bull tem o carro mais rápido, especialmente nas classificações, mas nunca se sabe se Sebastian Vettel ou Mark Webber estão usando ou não o Kers, claramente o calcanhar-de-Aquiles da equipe que lidera ambos os campeonatos, de construtores e pilotos.

De acordo com o projetista da equipe, Adrian Newey, a questão é de superaquecimento, o que faz com que os pilotos tenham o dispositivo, que pesa cerca de 25kg, no carro, mas não possam usá-lo o tempo todo. “É algo nessas linhas”, afirmou, quando questionado sobre o problema de refrigeração. “Temos que ficar administrando o Kers.”

Segundo o inglês, os pilotos têm evitado usar o dispositivo em todas as voltas, guardando-o para as disputas de posição.

Mesmo assim, Webber afirmou que não pôde usar o Kers a partir da volta 24 no GP da China, após não tê-lo utilizado na Austrália e na Malásia. Seu companheiro, Sebastian Vettel, também ficou sem a ajuda, por exemplo, para lutar com Lewis Hamilton pela liderança na última corrida, em Xangai.
Contudo, o chefe da equipe, Christian Horner, vê evolução e garante que o sistema será aperfeiçoado para o GP da Turquia.

“Funcionou na largada e até perto de metade da corrida. Depois escolhemos parar de usar em todas as voltas. Demos um passo adiante para a China e temos algumas semanas para dar outro passo, mas creio que estamos indo na direção certa.”

Calcula-se que o Kers, sistema de recuperação de energia cinética, que gera 80hp de potência em 6s6 por volta, proporcione ganho de três a cinco décimos.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Mark Webber , Sebastian Vettel
Tipo de artigo Últimas notícias