Represente barenita quer provar segurança no país para sediar GP

Sheikh Al Khalifa reconhece que país tem problemas, mas pede ajuda à Fórmula 1 para ajudar na unificação

GP do Bahrein foi cancelado em 2011

O representante do Grande Prêmio do Bahrein informou que seu país está pronto para uma corrida de Fórmula 1 e quer provar que há segurança para sediar novamente uma etapa do mundial. Mensagens de ativistas circulam no país, mas isso não é uma coisa nova, como disse Sheikh Abdullah bin Isa Al Khalifa.

"Existem distúrbios e jovens que precisam ser manipulados para conduzirem de uma forma mais adequada", disse Al Khalifa, o presidente da Federação de Automobilismo do Bahrein à PA Sport.

"Eles precisam saber se, tiverem alguns problemas ou preocupações, que existem canais e procedimentos apropriados para lhe dar com isso. Eles não vão atingir seus objetivos perturbando as vidas da família, dos amigos, dos vizinhos ou qualquer pessoa que visita o país. Temos esses jovens fazem o que fazem desde 2004."

Quando perguntado se a corrida poderia ser cancelada novamente como aconteceu em 2011, quando a onda de protestos foi tão grande que a Fórmula 1 não pôde visitar o país, Khalifa foi categórico:

"As pessoas me perguntam sobre o Bahrein, e eu entendo as a preocupações, mas todos que estiveram aqui antes e depois, não verão a diferença. É por isso que espero que a corrida venha o mais rápido possível, apenas para deixar essa comunidade (F-1) ver e sentir o que está acontecendo aqui no Bahrein.

"Eu sei que os olhos estão em nós, mas sinto que há um burburinho no país para reunir a Fórmula 1. Então, minha mensagem para a Fórmula 1 é, 'Faça parte da unificação do meu país'. Nós tivemos nossa participação nos problemas, as pessoas cometeram erros, mas é tempo de reconciliar para seguir em frente e sair mais forte e mais unido."
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Bahrein
Tipo de artigo Últimas notícias