Ricciardo passa Alonso e Hamilton no final e vence na Hungria

Em uma corrida incrível, australiano acerta estratégia, é agressivo e bate as Mercedes; Massa é quinto

Adotando uma estratégia arriscada em uma prova que começou com pista molhada e ultrapassando ninguém menos que Lewis Hamilton e Fernando Alonso nas voltas finais, Daniel Ricciardo conseguiu uma vitória sensacional no GP do Canadá. Em outra grande performance, o espanhol foi o segundo, aguentando a pressão de Hamilton, que largou dos boxes, nos últimos instantes.

O inglês, contudo, não teve vida fácil e fechou a prova se dependendo do companheiro, depois de desrespeitar ordens para deixar o companheiro passar durante a prova. Felipe Massa foi o quinto colocado com a Williams.

Uma pancada de menos de 5 minutos de chuva 40 minutos antes da largada obrigou os pilotos a largarem com pneus intermediários e ser saber muito bem como estavam as condições de pista.

[publicidade]Mesmo assim, Rosberg manteve a ponta e Bottas e Alonso largaram bem, tomando a segunda posição de Vettel. O alemão, contudo, se recuperou em cima do espanhol ainda na primeira curva. Massa perdeu duas posições e fechou a volta inicial em oitavo. Largando dos boxes, Hamilton escapou, mas conseguiu continuar, mesmo com um pouco de dano em sua asa dianteira, fechando a volta inicial em penúltimo, só à frente de Kvyat, cujo motor apagou antes da volta de apresentação.

Depois de recuperar o posto com Alonso, Vettel começou a pressionar Bottas, enquanto Rosberg abria na ponta. Com três voltas completadas, o alemão já tinha 5s7 de vantagem. Nesse momento, Alonso era terceiro, seguido de longe por Button, que ganhou duas posições na largada, Ricciardo, Hulkenberg, Massa, Vergne e Perez. Hamilton reclamava de vibrações pela asa danificada mas, mesmo assim, era 16º depois de ter largado dos boxes.

Buscando o limite em uma pista que ainda estava molhada em alguns trechos, vários pilotos, inclusive Rosberg, deram escapadas, sem maiores consequências, Isso, até que Marcus Ericsson bateu forte, sozinho, e trouxe o Safety Car para a pista. Vários pilotos, a começar por Button, que era quinto, para aproveitar e colocar pneus para pista seca.

O inglês, contudo, teve uma parda lenta e perdeu a posição para Ricciardo, que acabou sendo alçado à liderança quando os quatro primeiros pararam, na volta seguinte. Após todas as paradas, a Red Bull era primeira, seguida por Button, Massa, Rosberg, Magnussen, Vergne, Vettel, Alonso, Hulkenberg e Perez. A Williams trabalhou mal com Bottas e o finlandês caiu para 11º. Apenas as duas McLaren eram as únicas com pneus intermediários, sendo que Magnussen, que largada dos boxes, sequer fez sua parada.

Quando foi anunciada a relargada, Grosjean perdeu o controle de sua Lotus também sozinho e bateu, mantendo a paralização.

Na relargada, como a pista ainda úmida, Button rapidamente se livrou de Ricciardo, mas teve uma má notícia via rádio: a chance de voltar a chover era cada vez menor e ele precisaria abrir para colocar pneus de pista seca. Magnussen também aproveitou e passou Rosberg. O alemão tentou dar o troco e acabou sendo superado por Vergne e Alonso em duas curvas, caindo para sétimo. Enquanto isso, Hamilton já era nono.

Na ponta, Button começou a perder rendimento e parou após apenas duas voltas após a relargada. Assim, Ricciardo retomou a ponta, com Massa em segundo, fazendo a melhor volta da pista. Mais atrás, a briga era boa, com Alonso superando Vergne e subindo para terceiro e Rosberg quase batendo com o francês. Na briga pelo oitavo lugar, Perez bateu em Hulkenberg e tirou o companheiro de Force India da corrida, na primeira vez que o alemão não pontua na temporada.

Livre da briga, Alonso passou a ser o mais rápido da pista, aproximando-se de Massa. Com 20 voltas disputadas, o top 10 tinha Ricciardo, Massa, Alonso (a menos de um segundo do brasileiro), Vergne, Rosberg, Vettel, Hamilton, Perez, Bottas e Gutierrez. Lewis pressionava Sebastian fortemente.

Na 23ª volta, mais um acidente forte trouxe o Safety Car para a pista, desta vez com Perez, que perdeu o carro na saída da última curva e chocou-se com o muro do pitlane. Ricciardo, Massa e Bottas foram os únicos pilotos da ponta que decidiram parar novamente. Com isso, Alonso tomou a liderança, seguido por Vergne, Rosberg, Vettel, Hamilton, Ricciardo, Massa, Gutierrez, Raikkonen e Sutil.

A segunda relargada foi dada na volta 27. Alonso abriu 4s5 em cinco voltas, quando Rosberg foi o primeiro dos ponteiros a parar. Enquanto o alemão entrava nos boxes, Vettel pendeu o carro de maneira semelhante a Perez, chegou a rodar em plena reta, mas conseguiu evitar o muro por muito pouco. O alemão caiu para sétimo. Sem os dois alemães a sua frente, Hamilton partiu com decisão para cima de Vergne e fez a ultrapassagem. O francês entrou nos boxes na volta seguinte.

Hamilton e Ricciardo, terceiro, começaram a diminuir a vantagem de Alonso, que parou na volta 39, retornando à pista na quinta colocação. Hamilton parou na volta seguinte e voltou atrás do espanhol. Com isso, Ricciardo retomou a ponta, seguido por Massa, Alonso, Hamilton, Rosberg, Bottas, Maldonado, Raikkonen, Vettel e Vergne. O piloto da Ferrari voltou dos boxes logo à frente do alemão e se manteve em oitavo de maneira agressiva.

Com 30 voltas para o final, a corrida estava aberta. Ricciardo e Massa tentavam abrir vantagem para permanecer na frente, com o brasileiro usando pneus médios. Com borracha mais nova e macia, Alonso buscava se manter em terceiro, com Hamilton vindo atrás de médios e Rosberg, de macios.

Bem mais lento que Alonso, Massa foi para os boxes na volta 46 e retornou na sexta colocação, com mais um jogo de pneus médios e a intenção de ir até o final. Agora disputando a terceira posição, Rosberg começou a se aproximar de Hamilton. A equipe pediu que o inglês deixasse o companheiro passar, pois o alemão teria mais uma parada pela frente, dando a entender que Lewis iria até o fim com seus pneus médios. O clima esquentou na Mercedes: o inglês começou a questionar o engenheiro se seus pneus aguentariam e manteve o alemão atrás. E Rosberg reclamou via rádio.

Na volta 55, com 15 para o final, Ricciardo fez sua última parada, voltando em quarto, atrás de Rosberg. Assim, Alonso voltou à ponta, com Hamilton em segundo. Bottas era o quinto, seguido por Massa, que era pressionado por Raikkonen. Vettel era oitavo e Vergne e Button completavam o top 10.
Sem conseguir passar por Hamilton, Rosberg foi para sua terceira parada na volta 57, coltando atrás da briga entre Raikkonen e Massa. O alemão conseguiu passar o finlandês com 10 voltas para o fim e foi à caça do brasileiro e fez a ultrapassagem no giro seguinte, relegando Massa ao quinto posto.

Enquanto isso, Hamilton e Ricciardo encostavam em Alonso na luta pela vitória. Com oito voltas para o fim, os três já estavam separados por apenas 1s4. Pressionado, Alonso chegou a passar reto em uma chicane, o que provocou reclamações de Hamilton. Com cinco voltas para o fim, Ricciardo tentou uma manobra arriscada na curva 3, mas Hamilton se defendeu. Na volta seguinte, porém, o australiano conseguiu a manobra e pulou para segundo. Isso, com três voltas para o fim. Na volta seguinte, a vítima foi Alonso, em uma manobra simples na primeira curva.

O espanhol, então, passou a ser fortemente pressionado por Hamilton. Mas a pressão não durou muito, pois Rosberg chegou com muita ação e quase passou o companheiro. Porém, não conseguiu passar. Assim, Ricciardo venceu, seguido por Alonso, Hamilton, Rosberg, Massa, Raikkonen, Vettel, Bottas, Vergne e Button.

Confira o resultado após 70 voltas:

1.  Daniel Ricciardo  Red Bull-Renault  1h53m05.058s
2.  Fernando Alonso  Ferrari  +5.2s
3.  Lewis Hamilton  Mercedes  +5.8s
4.  Nico Rosberg  Mercedes  +6.3s
5.  Felipe Massa  Williams-Mercedes  +29.8s
6.  Kimi Raikkonen  Ferrari  +31.4s
7.  Sebastian Vettel  Red Bull-Renault  +40.9s
8.  Valtteri Bottas  Williams-Mercedes  +41.3s
9.  Jean-Eric Vergne  Toro Rosso-Renault  +58.5s
10.  Jenson Button  McLaren-Mercedes  +1m07.2s
11.  Adrian Sutil  Sauber-Ferrari  +1m08.1s
12.  Kevin Magnussen  McLaren-Mercedes  +1m18.4s
13.  Pastor Maldonado  Lotus-Renault  +1m24.0s
14.  Daniil Kvyat  Toro Rosso-Renault  +1  volta
15.  Jules Bianchi  Marussia-Ferrari  +1  volta
16.  Max Chilton  Marussia-Ferrari  +1  volta
 
Abandonos
 
Esteban Gutierrez  Sauber-Ferrari  33  voltas
Kamui Kobayashi  Caterham-Renault  25  voltas
Sergio Perez  Force India-Mercedes  23  voltas
Nico Hulkenberg  Force India-Mercedes  15  voltas
Romain Grosjean  Lotus-Renault  11  voltas
Marcus Ericsson  Caterham-Renault  8  voltas

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias