Rosberg é considedo inocente pela FIA e mantém a pole

Suspeita era de que alemão tinha saído da pista de propósito para atrapalhar a volta mais rápida de Hamilton

Os instantes finais da classificação do GP de Mônaco deram o que falar: com a pole provisória no bolso, Nico Rosberg errou na freada da Mirabeau e escapou, provocando uma bandeira amarela localizada, que acabou prejudicando a volta do companheiro, Lewis Hamilton. O inglês ficou em segundo no grid. A diferença entre os dois foi de 59 milésimos.

[publicidade]O alemão chegou a ser investigado pelos comissários, que procuravam determinar se o erro foi deliberado para impedir que Hamilton melhorasse sua marca, como Michael Schumacher fez com Fernando Alonso em 2006, ao estacionar sua Ferrari na Rascasse.

LEIA MAIS:

Rosberg garante que erro não foi proposital, mas pede desculpas a Hamilton


A decisão saiu 3h30 depois do final da classificação. Enquanto Hamilton evitou acusar diretamente o companheiro, Rosberg se mostrou calmo o tempo todo e garantiu, assim que saiu do carro, que os dados mostrariam que ele era inocente. "Os comissários analisaram a telemetria e os vídeos e não encontraram nenhuma evidência de ilegalidade relacionada ao incidente da curva 5", anunciou a entidade.

“Por que ele tem de se desculpar? Está na pole”, questionou Hamilton quando perguntado se os dois haviam conversado sobre a situação. “Eu estava em uma volta boa o suficiente para a pole, mas isso não importa. Não estou sugerindo nada.” 

O alemão, que larga na pole pelo segundo ano consecutivo em Mônaco, chegou a pedir desculpas, mas insistiu o tempo todo em sua inocência. “Eu sabia que tinha um bom desempenho naquela parte do circuito e tentei arriscar um pouco mais, mas acabei indo além do que deveria e isso foi um erro”, disse após o treino. 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias