Rosberg ganha de ponta a ponta e Massa bate novamente

Brasileiro sofreu acidente muito semelhante ao do treino em dia de lucro para Vettel, que ampliou liderança

Em uma prova acidentada, com dois Safety Cars e uma bandeira vermelha, Nico Rosberg conseguiu fazer os pneus da Mercedes sobreviverem para vencer de ponta a ponta o GP de Mônaco. Uma das batidas foi de Felipe Massa, de forma muito semelhante ao que aconteceu nos treinos de sábado.

Sebastian Vettel ampliou sua vantagem na liderança do campeonato com o segundo lugar, à frente de Mark Webber. Seu rival mais próximo na tabela, Kimi Raikkonen, teve um pneu furado após um toque de Sergio Perez e foi décimo. Terceiro no mundial, Fernando Alonso teve um domingo ruim e foi apenas o sétimo. O espanhol foi uma das vítimas de Adrian Sutil, quinto colocado e grande destaque da prova.

As posições se mantiveram as mesmas após a largada, apenas com Maldonado e Van der Garde precisando trocar seus bicos depois de se encontrarem na Loews. Nas primeiras voltas, Vettel colocou forte pressão em Hamilton, mas não conseguiu passar. Alonso ensaiou forçar para cima de Raikkonen, mas não era rápido o suficiente.

Largando em antepenúltimo após problemas com ambas as Marussia, Massa não conseguiu ganhar muitas posições nas primeiras voltas, ficando preso atrás de Gutierrez, em 16º.

A primeira parte da corrida foi disputada sob ritmo lento. Tanto, que todos os pilotos que iam para o fundo do grid marcavam volta mais rápida. Quem perdeu contato foi Alonso, que não mantinha o mesmo ritmo dos líderes e passou a liderar um trem com as McLaren, Sutil, Vergne e Hulkenberg.

Falando em McLaren, a dupla do time inglês protagonizou outra disputa logo no início da prova, com Perez cortando duas chicanes para ficar à frente de Button, que reclamou via rádio. O mexicano devolveu a posição.

A partir da volta 20, os pilotos começaram a apertar o ritmo. Na volta 26, Webber foi o primeiro a parar, enquanto Massa perdia a 15ª posição para Di Resta, que fez sua parada logo no início da prova. Na volta seguinte, Raikkonen e Button responderam. Massa também parou.

Na volta 29, Alonso fez seu pit stop, no momento em que Webber começou a ganhar tempo. Quase ao mesmo tempo, Massa sofreu um acidente muito parecido com o do treino livre, na Saint Devote. Com dores, o piloto foi atendido pelos comissários já fora do carro, com o pescoço imobilizado.

O Safety Car foi à pista e acabou prejudicando Hamilton. Mesmo com a parada dupla da Mercedes, o inglês perdeu posições para as duas Red Bull. Na relargada, na volta 39, Rosberg conseguiu abrir, com Hamilton pressionando Webber, chegando a colocar por dentro na Rascasse, e Alonso novamente para cima de Raikkonen.

Pressionando o finlandês, o espanhol acabou se expondo à pressão das McLaren. Button chegou a tocar na traseira da Ferrari. Logo em seguida, Perez passou o companheiro na chicane. Depois, o mexicano foi para cima de Alonso e chegou a colocar de lado no mesmo ponto. Evitando a colisão, o espanhol cortou a chicane e manteve a posição.

Uma fortíssima batida entre Maldonado e Max Chilton na curva do Tabaco paralisou a corrida na volta 46. O inglês havia cortado a chicane e o venezuelano vinha tentando a ultrapassagem por fora quando a Marussia fez a tomada do primeiro S da Piscina e quebrou sua asa dianteira. Com a asa indo parar embaixo do carro, a Williams decolou, destruindo a barreira de pneus e causando a bandeira vermelha. Chilton foi um punido com um drive through.

Mesmo antes da relargada, Alonso devolveu a posição para Perez pela disputa na chicane, caindo para sétimo. O espanhol passou a pressionar o mexicano, assim como Hamilton voltou a ir para cima de Webber. Mas quem conseguiu a ultrapassagem foi Sutil, que superou Button na Loews. Na volta 57, o alemão repetiu a manobra, agora em cima de Alonso.

Com 20 voltas para o final, Rosberg abria em relação a Vettel, que segurava um trem de 11 carros separados por 6s2. Na volta 63, um novo Safety Car parou a prova, desta vez após Romain Grosjean acertar a traseira de Daniel Ricciardo na saída do túnel.

A nova relargada foi dada com 11 voltas para o final. Novamente, Perez foi para cima de Raikkonen, agora colidindo com o finlandês, que teve um pneu furado. Com a confusão, Button aproveitou para passar Alonso. Com a asa danificada, Perez passou a andar lento e acabou abandonando a cinco voltas do final.

Assim, o top 10 do GP de Mônaco teve Rosberg, Vettel, Webber, Hamilton, Sutil, Button, Alonso, Vergne, Di Resta e Raikkonen. Com o resultado Vettel soma 107 pontos, 21 à frente de Raikkonen e 29 de Alonso.

Resultado final da prova:

1) Nico Rosberg Mercedes 78 voltas
2) Sebastian Vettel Red Bull, +3.8s
3) Mark Webber Red Bull, +6.3s
4) Lewis Hamilton Mercedes, +13.8s
5) Adrian Sutil Force India, +21.4s
6) Jenson Button McLaren, +23.1s
7) Fernando Alonso Ferrari, +26.7s
8) Jean-Eric Vergne Toro Rosso, +27.2s
9) Paul di Resta Force India, +27.6s
10) Kimi Räikkönen Lotus, +36.5s
11) Nico Hulkenberg Sauber, +42.5s 
12) Valtteri Bottas Williams, +42.6s 
13) Esteban Gutierrez Sauber, +43.2s 
14) Max Chilton Marussia, +49.8s 
15) Giedo van der Garde Caterham, +62.5s 

Não completaram:
Sergio Perez, Romain Grosjean, Daniel Ricciardo, Jules Bianchi, Pastor Maldonado, Felipe Massa, Charles Pic

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Monaco
Tipo de artigo Últimas notícias