Rosberg termina em quinto, mas queria mais

Piloto da Mercedes contou com bom ritmo, chegando a liderar, e acertou na estratégia, mas viu uma “oportunidade perdida”

Rosberg comemorou ter liderado uma corrida depois de um bom tempo

A Mercedes largou para o GP da China preocupada com seu ritmo de corrida, que não vinha acompanhando o desempenho na classificação. Mas uma estratégia certeira e bom desempenho colocaram Nico Rosberg e Michael Schumacher entre os oito melhores, mesmo que o heptacampeão tenha largado apenas em 14º.

Rosberg chegou a liderar a prova e parecia garantido no pódio, até que foi obrigado a reduzir o ritmo para economizar combustível e acabou sendo ultrapassado por Jenson Button e Lewis Hamilton. Nas últimas voltas, ainda perdeu posição para Mark Webber, que vinha muito mais rápido com os pneus macios, e terminou em quinto.

“Estou desapontado com a corrida porque não aproveitamos a oportunidade ao máximo. Demos um grande passo com o carro neste final de semana e teremos corridas melhores no futuro. Liderar uma corrida depois de tanto tempo foi um ótimo sentimento, mas tivemos problemas com o consumo de combustível, o que fez com que a luta por posições se tornasse muito difícil”, analisou por meio da assessoria de imprensa da Mercedes.

Schumacher foi um dos únicos pilotos do meio do pelotão a adotar a estratégia de três paradas, o que acabou funcionando. Isso, junto de uma ótima largada, colocou o alemão em oitavo ao final da prova.

“Houve muitas disputas e foi muito emocionante! Me diverti muito hoje e estou muito feliz em ver o trabalho duro do pessoal da equipe deu certo neste final de semana. Demos um grande passo com o carro e devemos melhorar ainda mais. É bom deixar a Ásia com um pensamento positivo.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da China
Pilotos Michael Schumacher , Nico Rosberg
Tipo de artigo Últimas notícias