Saiba como será o visual dos carros na próxima temporada

Os bicos baixos do início dos anos 1990 retornam, e o projetista Adrian Newey acredita que os carros ficarão "feios"

O projetista da Red Bull, Adrian Newey, já avisou: os carros serão feios. “Visualmente, não teremos mais a beam wing (pequena asa localizada na parte central, abaixo da asa traseira), um bico baixo e uma asa dianteira um pouco menor, em 75mm cada lado. A outra coisa que vocês notarão, e o impacto disso depende do quão bom será o trabalho de cada equipe, são laterais um pouco maiores para lidar com a necessidade maior de refrigeração.”

ESPECIAL 2014:

Entenda como será o regulamento que promete mudar a cara da F-1 - See more at: http://www.totalrace.com.br/site/noticia/2013/11/entenda-como-sera-o-regulamento-que-promete-mudar-a-cara-da-f-1#sthash.STLqvwyU.dpuf

Este último fator citado pelo engenheiro é considerado um ponto-chave para os projetistas. O novo motor é menor e mais alto, mas o problema são os dois geradores de energia elétrica e a refrigeração de todo esse conjunto. Em parceria com Marcos Smirkoff, o TotalRace traz uma prévia de como os novos carros deverão ficar. Clique nas imagens para ampliar e entenda as mudanças:

 

 

 

 

 

Em termos de aerodinâmica, o grande desafio, principalmente para Newey, que vem fazendo desta a grande arma da Red Bull nos últimos anos, é o fato do regulamento praticamente inviabilizar o uso dos gases do escapamento para fins aerodinâmicos.

Haverá apenas um escapamento, posicionado no centro da carenagem, por baixo da asa traseira. As regras dizem que sua saída deverá estar localizada de 170 a 185mm atrás do eixo traseiro do carro e 350 a 500mm acima do assoalho. Nessa saída, não serão permitidas peças como tubos e canos que desviem os gases. Para piorar a vida dos engenheiros, os últimos 150mm do escapamento terão uma inclinação de 5 graus. Tudo isso visa evitar que este fluxo de ar seja dirigido para o assoalho e melhore a estabilidade aerodinâmica.

Além disso, o fim da Beam Wing (pequena asa localizada logo abaixo do aerofólio traseiro) pode trazer de volta os pilares centrais de fixação da asa traseira, desta vez com muita proteção contra calor, uma vez que o escapamento passará pelo meio dos suportes.

É possível ainda que as equipes adotem aberturas grandes na altura dos pontos de fixação das suspensão traseira para dissipar o calor excedente do sistema de turbocompressor. Isso porque os novos motores devem gerar muito mais calor, forçando os projetistas a encontrar soluções menos diretas para o problema.

Mas a diferença mais visível é que os carros terão bicos bem mais baixos, tendo sua altura máxima caindo dos atuais 550mm para 185mm. Assim, eles estarão quase no nível dos elementos da asa dianteira, o que diminui bastante seu efeito aerodinâmico, pois as equipes usam o fluxo de ar que passa debaixo dos atuais bicos altos.

Um problema adicional é o fato da nova unidade de potência ser mais pesada do que o inicialmente esperado. A expectativa é de que elas ficassem por volta de 145-150kg, mas a Renault fala em 155kg para seu equipamento. Parece pouco, mas como tudo é desenvolvido no limite na Fórmula 1, isso aumentou a pressão em cima dos pilotos.

Isso porque o peso mínimo dos carros, que sobe para 690kg em 2014, é calculado somando-se o carro e o piloto. Atualmente, os carros têm de pesar pelo menos 642kg. Porém, as novas unidades de potência serão cerca de 60kg mais pesadas que as atuais. Já a distribuição de peso será fixa apenas para 2014, considerado um ano de transição, com 314kg na dianteira e 369kg na traseira.

A relação de marchas é outra dificuldade à parte: ela terá de ser fixa, servindo para todas as etapas. Cada piloto poderá efetuar uma mudança apenas em 2014. Quem errar pode correr o risco de passar a temporada toda sendo engolido nas retas.

VEJA QUAIS SERÃO AS PRINCIPAIS MUDANÇAS:

(Clique na imagem para ampliar e compare os itens com a legenda abaixo)

1. O bico ficará mais baixo; altura máxima da ponta do bico será 18,5cm acima do plano de referência do fundo do carro. O painel frontal do chassi (onde o bico é fixado) abaixará de 62,5cm para 52,5cm de altura máxima;

2. A asa dianteira será 15cm mais estreita;

3. Serão proibidos apêndices aerodinâmicos sob a frente do carro;

4. A capacidade do tanque de gasolina será reduzida de cerca de 200 quilos de combustível para um valor fixo de 100 quilos (pouco mais de 100 litros, considerando-se que a densidade da gasolina varia por volta de 0,75 kg/l);

5. O sistema de recuperação de energia terá a adição do ERS-H, que transforma o calor gerado pelo turbocompressor em energia elétrica, atuando em conjunto com o ERS-K;

6. O novo motor V6 1.6 turbocomprimido, de 15.000 RPM, com injeção direta e limitação de fluxo de combustível, levará à adoção de radiadores maiores;

7. Escapamento será único e com ângulo de saída regulamentado;

8. A "beam wing", pequena asa que também serve de suporte inferior para a asa traseira, será eliminada;

9. A asa traseira terá incidência reduzida; o ângulo máximo para todas as corridas fica semelhante ao adotado em 2012-2013 para Monza;

10. Todos carros adotarão a nova estrutura de segurança lateral desenvolvida pela FIA.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias