"Saída de Hamilton não foi uma escolha só dele", garante Ron Dennis

Executivo da McLaren explica que equipe poderia ter evitado a separação se quisesse, mas que isso não seria o certo a fazer

Ron Dennis:

Após acompanhar Lewis Hamilton desde o início de sua carreira, Ron Dennis e a McLaren se separaram do pupilo em 2013. Hamilton foi para a Mercedes, em busca de novos ares, mas Dennis garante que poderia ter segurado o campeão mundial de 2008 e não se mostra arrependido por não ter tentando até o fim.

“Eu acho que é errado dizer que foi o Hamilton que deixou a equipe”, comentou o ex-chefe do time e atual presidente executivo da McLaren Automotive à revista The Business Voice. “No final das contas, a gente acaba em uma situação em que há a separação se as coisas não estão bem. A vida não sobre uma pessoa decidir tudo. Nunca é assim. A vida é sobre circunstâncias. Eu sou realista. Poderíamos ter criado uma situação em que terminaríamos juntos? Claro que sim. Mas isso teria sido a coisa certa a fazer. Nós pensamos que não”, argumentou Dennis.

O dirigente, que ainda é uma pessoa forte nos bastidores da equipe, fez questão de dizer que não torce contra o ex-comandado. “Seja qual for a decisão da pessoa ao final de um período contratual, a única coisa a fazer é ser profissional e apoiá-la. Obviamente que nós não desejamos todo o sucesso do mundo para ele na Mercedes, o que é compreensível, já que se trata de um concorrente. Mas também não desejo nada de negativo”,  concluiu Ron Dennis.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Lewis Hamilton
Tipo de artigo Últimas notícias