Sam Michael inocenta Hamilton e elogia dupla da Williams

Diretor técnico da escuderia inglesa afirma que colisão que tirou Maldonado da prova foi "um acidente de corrida"

Sam Michael

Em sua tradicional análise pós-corrida, o diretor técnico da Williams, Sam Michael, inocentou Lewis Hamilton pelo toque que tirou Pastor Maldonado do GP de Mônaco de F-1.

O venezuelano ocupava a sexta posição quando foi tocado pelo inglês da McLaren a poucas voltas do fim na curva St. Devote. Como resultado, Maldonado abandonou e Lewis seguiu na prova. Mesmo com uma punição de 20 segundos, o campeão de 2008 manteve a sexta posição no resultado final.
 
"Foi um resultado de corrida", sentenciou o dirigente, que fez muitos elogios para Maldonado. "Sua performance foi nada mais que excelente. Seus dois engenheiros, Xevi Pujolar e Andrew Murdoch, também fizeram um ótimo trabalho. O esforço deles nos ajudou a fazer a estratégia certa e os pneus certos. Pastor andou forte quando foi preciso."
 
Para Michael, somar pontos em Mônaco foi um alívio. "Foi ótimo para todos os envolvidos e precisamos agradecer a Rubens [Barrichello] por isso. Foi meio amargo, pois Pastor estava atrás de grandes pontos. Rubens também, mas o safety car danificou sua posição. Muitos atrás dele ficaram entre os cinco na prova. Mônaco é uma loteria, e sair com pontos é um bom resultado."
 
Os pontos renderam elogios ao desempenho do modelo FW33. "O carro estava rendendo bem. Na corrida, fiquei impressionado com a velocidade que tivemos com os pneus no mesmo nível das equipes grandes. Claro que ainda há trabalho a fazer, mas estamos na direção certa."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Monaco
Pilotos Rubens Barrichello , Lewis Hamilton , Pastor Maldonado
Tipo de artigo Últimas notícias