Schumacher ganha presente dos céus e lidera primeira sessão

Alemão, que comemora 20 anos desde sua estreia na F-1, aproveitou a pista seca para ser o mais rápido na Bélgica; Bruno Senna bateu e não completou o treino

Schumacher começa bem seu final de semana de estrela

O tempo pode ter ajudado, mas Michael Schumacher sentiu o gostinho de liderar a primeira sessão de treinos livres para o GP da Bélgica, que marca o aniversário de 20 anos desde sua estreia na F-1. O alemão ficou quase meio segundo à frente do companheiro Nico Rosberg. Os dois foram os únicos a marcar tempos antes do céu cair em Spa-Francorchamps. No molhado, Bruno Senna bateu e não terminou o treino.

A primeira sessão de treinos livres foi menos movimentada que o normal devido à chuva em Spa-Francorchamps. Ainda que a água tenha parado de cair no decorrer da sessão, a pista seguiu bastante molhada.

Mesmo assim, a temperatura da pista não estava tão baixa, 27ºC no asfalto e 23º de temperatura ambiente.

Cada piloto tem direito a quatro jogos de pneus intermediários e três de chuva durante todo o final de semana. Portanto, é de se esperar que não se preocupem muito em fazer várias voltas em uma sessão de treinos no molhado – ainda por cima porque também há previsão de chuva para amanhã.

Nada disso, porém, tirou a vontade de Michael Schumacher ir para a pista. O alemão entrou antes que as condições piorassem e marcou tempo na casa de 1min54. Apenas seu companheiro, Nico Rosberg, acompanhou seu ritmo.

Entre os brasileiros, até 35 min para o final da sessão, apenas Bruno Senna havia entrado na pista, rodando tempos bem mais altos, na casa dos 2min14, assim como Adrian Sutil e Kamui Kobayashi. Nesse momento, apenas oito pilotos haviam marcado tempo. Os demais tinham feito apenas voltas de instalação.

Senna fez sete voltas até que rodou e bateu a traseira de seu Renault na barreira de pneus. O toque não foi forte, mas danificou a suspensão traseira e fez com que o piloto tivesse de abandonar o treino com cerca de meia hora para o final da sessão. Com seis voltas completadas até aquele momento, seu companheiro, Vitaly Petrov, havia sido dois décimos mais lento.

Os pilotos dos times grandes saíram à pista para marcar tempos com 25min para o final da sessão. Webber teve o terceiro tempo, Vettel o sexto e Alonso, o sétimo. O alemão ainda melhorou seu tempo, mas ficou a meio segundo do companheiro. Jenson Button colocou-se à frente da dupla da Red Bull, em terceiro. Ainda assim, ficou 15 segundos atrás das Mercedes.

Rubens Barrichello também foi à pista, andando próximo do tempo de Bruno Senna, na 16ª colocação.

Com 16min para o final, Paul Di Resta escapou no mesmo lugar onde Senna havia saído da pista mais cedo. Bateu de lado, também de maneira leve, mas teve de abandonar com a suspensão danificada. O acidente levou a sessão à bandeira vermelha. Nesse momento, Pastor Maldonado, Felipe Massa e Lewis Hamilton sequer haviam marcado tempos.

A sessão foi reiniciada com pouco mais de seis minutos para o final. Com a pista melhorando, Hamilton pulou para terceiro logo em sua primeira volta, e Massa fez o quinto tempo, logo à frente de Barrichello.

O segundo treino livre para o GP da Bélgica começa às 9h (horário de Brasília).

Confira os tempos da primeira sessão:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Bélgica
Pilotos Michael Schumacher
Tipo de artigo Últimas notícias