Segundo Brawn, não há muito o que testar para 2012 agora

Chefe da Mercedes afirma que equipe está utilizando algumas peças novas, mas salienta que carros têm conceitos distintos

A Mercedes mostrou evolução na Coreia

Isolada no Mundial de Construtores, com o quarto lugar praticamente assegurado – está a 183 pontos da Ferrari e 55 à frente da Renault – a Mercedes tem aproveitado as últimas corridas do ano para testar novidades pensando no carro de 2012. É o que garante Ross Brawn, falando com exclusividade ao TotalRace. No entanto, o chefe da equipe salienta que não há muito o que se possa fazer.

“Temos feito algum trabalho relacionado à confiabilidade e novos componentes e conceitos com os quais queremos ter mais experiência.”

O problema é que as mudanças de regulamento alteram os princípios da construção do carro, limitando o que pode ser levado de um ano para outro. Para 2012, apesar das alterações não serem muito extensas, elas incluem um item fundamental dos carros de 2011, o difusor soprado.

“Normalmente, o conceito do carro é tão diferente que não há muito o que você possa testar, mas certamente há algumas peças [que podem ser testadas]. Dei a instrução de que estaríamos muito felizes em usar os primeiros treinos livres para avaliar novidades para o carro do ano que vem.”

Mas Brawn lembra que, muitas vezes, as peças desenvolvidas acabam funcionando tão bem que são utilizadas nos carros ‘velhos’ para ganho de performance.

“O que normalmente acontece é que, testando coisas pensadas para o carro novo, você encontra maneiras de melhorar o carro velho e acaba introduzindo a mudança para ganhar o benefício mais cedo. Mas não há algo muito significativo que dê para fazer.”

(colaborou Luis Fernando Ramos)

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias